5 SÉRIES DE QUE DESISTI

séries de que desisti
Admito: prefiro mil vezes falar das séries de que gostei a falar das séries que não consegui terminar. No entanto nem sempre gosto das séries que começo e quero ser muito sincera sobre estas. Talvez esteja a sentir-me sozinha nisto e precise de encontrar alguém que tenha sentido o mesmo em relação a pelo menos uma destas histórias. Se não sentiram o mesmo e, pelo contrário, adoraram... por favor, não sejam maus. O que faria se todos gostássemos de amarelo?
unbreakable kimmy schmidt
UNBREAKABLE KIMMY SCHMIDT
Eu tentei, eu juro que tentei... Unbreakable Kimmy Schmidt começa com a libertação de um grupo de raparigas que passaram 15 anos fechadas num bunker. Quando saem, cada uma têm uma ideia muito própria do que fazer a seguir. Kimmy Schmidt muda-se para Nova Iorque e vai percebendo que o mundo não é nada como ela se lembrava.

É uma série de humor, co-escrita pela Tina Fey, e na altura em que disse que estava curiosa para começar, há dois anos, tinha lido muitas coisas positivas. A verdade é que não me identifiquei com o humor, não achei a série assim tão interessante e divertida e, apesar de me ter forçado a terminar a primeira temporada, não continuei depois disso.
riverdale
RIVERDALE
Foi uma das minhas preferidas de 2017 e adorei a primeira temporada. O que estragou tudo foi a segunda, que nem sequer terminei. Riverdale é inspirada na história da Archie Comics e passa-se na cidade de Riverdale. A primeira temporada começa com a morte de Jason Blossom, o menino rico da cidade, e o mistério arrasta-se a temporada toda, com várias hipóteses para o que aconteceu realmente. As personagens principais são o Archie, a Betty, a Veronica, a Cheryl e o Jughead (melhor personagem?) e durante a primeira temporada juro que são todos toleráveis.

Depois o caso muda de figura e ao fim de alguns episódios da segunda temporada cansei-me. Não a terminei. Sei que há muita gente que adora a série e acham que está cada vez melhor e isso tudo, mas já não dava mais para mim. Demasiados mistérios, demasiadas coisas irritantes... too much.
thirteen reasons why
THIRTEEN REASONS WHY
Gostei tanto da primeira temporada (que teve um ou outro momento mais problemático), mas nem sequer consegui terminar o primeiro episódio da segunda temporada. A primeira temporada da série é baseada num livro com o mesmo nome, que conta a história de Hannah Baker, que morreu por suicídio. Antes disso, gravou 13 cassetes com as razões para o que aconteceu. Gostei da primeira temporada, que tem uma cena tão forte que me fez desviar o olhar porque já não aguentava chorar mais. Mas nunca concordei com o facto de haver uma segunda. Para mim a história estava contada. Quando estreou a segunda temporada ainda vi o primeiro episódio mas percebi rapidamente que não valia a pena continuar. A história que eu queria ver já tinha terminado e o resto já não era para mim.
chilling adventures of sabrina
CHILLING ADVENTURES OF SABRINA
Vocês enganaram-me! Enganaram-me! Okay, se calhar não vocês em específico, mas toda a gente que dizia que a série era espectacular. Sabrina é uma rapariga de 16 anos que é metade humana e metade bruxa e eu adorava a série Sabrina, The Teenage Witch (a da Melissa Joan Hart, não a de desenhos animados, que só este ano soube que existiu). Esta série da Netflix não tem o mesmo humor e leveza da anterior, mas tudo bem. Só que eu não consegui criar relação com esta e desisti a meio do episódio 3. Não sei se foi por, sempre que mencionavam o Dark Lord, eu rir e falar do Voldemort, se por ter gostado tanto da série anterior que esta não tinha espaço ou se foi simplesmente porque a série não é assim tão interessante. Mas pronto... ficámos assim. Lamento!
cougar town
COUGAR TOWN
Esta já abandonei há algum tempo e no início achei que era só uma pausa e depois voltava, mas não aconteceu. Cougar Town é protagonizada pela Courtney Cox e na altura eu tinha terminado de rever FRIENDS e estava no mood para séries de humor e, já que tinha visto a Courtney em FRIENDS, achei que podia vê-la noutra série. Em Cougar Town ela é uma divorciada que vive com o filho e os primeiros episódios até são engraçados mas depois o humor da série cansa e a história não prende e a primeira temporada ficou por terminar. Definitivamente, não é o meu tipo de série.




9 Theories So Far

  1. Vi Thirteen Reasons Why e Sabrina - as outras não opino porque nunca lhes deitei o olho. Entendo bem a tua frustração com a 2ª temporada de Thirteen Reasons Why, pareceu um bocado "aproveitar o lanço", mas até achei o tema relevante. Safou-se por aí. Já Sabrina, gostei embora seja meia silly - para quem gostava de ver a original, não tem naaaaada a ver!

    Jiji

    ResponderEliminar
  2. Só vi 13RW, aliás, estou a avançar muito lentamente, estou a pensar desistir ao fim da primeira temporada. Quanto às restantes que falaste, conheço-as e algumas até estão na minha lista para ver. Quanto a Sabrina tenho um certo receio, e Riverdale nem se fala: tenho medo dessa!

    http://thelittleangieblog.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  3. É engraçado como o teu lado de escritora me provocou a mesma sensação que estar a ler um livro: divertimento, revolta, rápido e compreensão. Mas porque disto isto:

    - 13 Razões achei a segunda temporada mais importante que a primeira, confesso. Sou como tu no que toca a cenas fortes, e o último episódio da 2ª temporada fez-me isso. Todavia, o que mais achei importante neste seguimento foi o passar a mensagem de que: toda a história, tem sempre um segundo lado. Num mundo em que é fácil julgar por uma fotografia, vídeo, publicação ou cassetes, foi importante perceber que por vezes o amor que uma pessoa parece ter e receber, não é aquele de que precisamos. Para quem não viu recomendo também a mini-série Beyond The Reasons, também na Netflix. Esta série explica os motivos da série. É construída com atores, especialistas e perguntas do público. Está muito gira.

    - Riverdale e Sabrina vou juntar porque estão as duas séries no Archie Comics. Riverdale compreendo na perfeição o que queres dizer. A segunda temporada começou a acrescentar coisas rebuscadas. A terceira não foge à regra, mas quando temos uma cidade corrupta acho que começamos (comecei) a aceitar isso e a aproveitar a série e o elenco. Adoro-o demais para pensar na história. É das séries que mais me entretém atualmente.
    Sabrina é Sabrina. Achei que poderia ter mais "magia" em si, em vez de efeitos práticos. Todavia deliciei-me imenso com a história e aquela pergunta de: mas ela é má ou boa? Aquilo que acho é que ela é somente uma adolescente que face aos seus poderes quer fazer algo de bom para os seus amigos. Com isto, mal posso esperar pelo episódio de natal e pela Parte 2 da temporada.

    Excelente post e narrativa. Por momentos parecia que estava a reviver cada episódio.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  4. De todas só vi a Cougar Town e gostei. Vi-a numa altura em que a minha net era horrível e só podia ver as séries da TV e queria algo para passar o tempo, então habituei-me a ela. Mas agora deixaste-me a pensar se a visse hoje, iria gostar ou identificar-me com. Enfim, acho que a vi na altura certa :)

    Sabrina... eu também ouvi dizer bem da série, mas Sabrina, para mim, será a Sabrina, The Teenage Witch com a Melissa (cheguei a ver e gostar dos desenhos animados) e nunca me deu sequer a vontade de ver esta "nova Sabrina", não me faz sentido.

    ResponderEliminar
  5. Eheeeeeeh, estou a sentir aquele shame (que dou a mim própria) por ainda continuar a ver Riverdale. Apesar de ser a primeira pessoa que diz que é péssimo. Sem construção de narrativa, imensos erros cronológicos e um exagero a partir da segunda temporada que já me fez querer desistir várias vezes. Mas ainda não aconteceu. Porquê? Não sei, honestamente. Mas acabo sempre por ver mais um episódio #shame #shame #shame

    Em relação ao resto, confesso que não entendo o propósito de 13RW. Não cheguei a acabar a primeira temporada por ser demasiado triggering para mim, mas acho que não fez mesmo sentido prosseguirem para novas temporadas. Das outras, só vi Sabrina e... Gostei bastante. Não foi aquela série uaaaaaaaaaaaaaaaaaau para mim como foi para toda a gente, mas gostei na mesma.

    Beijinhos,
    Sónia R. Pinto
    By the Library

    ResponderEliminar
  6. Vi a primeira temporada de 13 Reasons Why (depois de ler o livro) e gostei, apesar de sentir que a história em si tem algumas incongruências. Independentemente disso, partilho da opinião que uma temporada chegava, por isso, acho difícil ver a segunda.
    Acompanhava Cougar Town e adorava. Fartava-me de rir com as peripécias dos protagonistas :D

    ResponderEliminar
  7. Também desisti de Riverdale e de Thirteen Reasons Why. Acho que ambas deviam ter ficado na primeira temporada. Há certos tipos de histórias que só dão mesmo para uma temporada, estar ali a tentar arrastar o enredo por mais é estragar tudo.
    Eu gostei muito da série Sabrina (estou a chamá-la assim para não ter que escrever o nome todo xD), gostei deste lado mais negro da bruxa. Na verdade, sempre idealizei a Sabrina assim, nunca achei piada ao retrato humorístico da outra série.
    Beijinhos
    Blog: Life of Cherry

    ResponderEliminar
  8. Há séries que de facto acabam por desiludir nas temporadas seguintes, mas ao contrário de ti, eu não consigo deixar de ver ahah. Posso estar mega cansada, mas não consigo deixar as coisas a meio e tenho sempre esperança que melhore, assim também tenho uma opinião mais sincera :p
    Em relação às séries, andam a convencer-me a ver Riverdale há algum tempo, mas ainda não lhe dei oportunidade. Quando vir, vamos ver se tenho a mesma opinião que tu :p
    13RW também não entendia porque iam fazer uma segunda temporada, pois achava que a história já estava contada. No entanto, gostei mais desta segunda, até porque tinha uma ideia de certas personagens e acabei por ficar com outra. É bom na medida em que te dá uma outra versão e certas explicações. Acabou por dar uma continuidade à história e havia, de facto, coisas para contar. O último episódio é mesmo forte e mexeu imenso comigo, forte demais até.
    As outras não vi :)

    ResponderEliminar

A resposta aos comentários é dada na própria caixa de comentários.

Não serão aprovados comentários de carácter ofensivo (para mim, para quem possa estar mencionado no texto ou para os meus seguidores e comentadores) e/ou que atentem contra a liberdade humana. Assim como não serão aprovados comentários que incentivem o ódio.