É RECEIO DOS OUTROS OU RECEIO DE NÓS PRÓPRIOS?

Fiães - Portugal
Não sei quantas ideias deixei morrer porque me limitava, sem qualquer motivo. Durante muito tempo tinha ideias para o blog que, na verdade, eram ideias que funcionavam melhor noutro formato e, quando percebia que não iam funcionar de outra forma, desistia. Isto acontecia muito com ideias cujo melhor formato seria o vídeo. Tinha tantas ideias e depois pensava: isto ficava tão melhor em vídeo! Mas claro que o vídeo estava fora dos limites: porque fazer vídeos implicava gravá-los, editá-los, mostrar a minha voz, mostrar a minha cara e lidar com complexos e medos. Não, não ia fazer vídeo. Se isso implicasse perder a ideia, então perdia a ideia!

Depois, decidi que tinha de parar de desperdiçar ideias. A voz, depois de anos de trabalho de rádio, não podia ser mais um problema. Gravar não iria ser problema. Editar não havia de ser assim tão complicado depois de ter tentado o Avid na faculdade. Mas... e os complexos e os medos? Bem, contra esses é travar uma batalha de cada vez. No fundo, percebi que vamos sempre arranjar desculpas para não fazer algo que queremos fazer. E, se as procurarmos, então ainda mais bem sucedidos vamos ser a não fazer as coisas. Mas onde há desculpas para não fazer também há motivos para fazer. E esses têm de pesar mais.

Quem fala em vídeos fala noutra coisa qualquer. Às vezes queremos fazer coisas diferentes, arrojadas, e não fazemos porque, lá está, temos milhares de desculpas para não as fazer. E com essas desculpas acabamos por ficar estagnados, sem evoluir, sem arriscar, sem tentar. E até podemos dizer que é por receio de como os outros vão reagir, mas não será, na verdade, receio de nós próprios?



Com isto tudo, voltei finalmente a gravar um vídeo, depois de duas semanas, e confesso que já tinha saudades! O que perder o medo faz, já viram?




3 Theories So Far

  1. Concordo completamente! Quando mudei de cidade e comecei a morar sozinho deparei-me com imensos medos. Coisas que queria fazer. Vontades. Desejos. Mas tinha sempre desculpas ou, por vezes, preferia o sofá a essas coisas. Tive de ralhar comigo. De me meter eu próprio em baixo e perceber que poderia ultrapassar isto se falasse comigo ao ponto de me fazer amigo do medo.
    Concordo imenso com o texto e apoio os teus vídeos e vou acompanhando. Porque outra coisa ainda advém disto: é o que aprendemos. Fica connosco!

    Obrigado pela partilha, adorei!

    ResponderEliminar
  2. Quantas oportunidades perdemos por causa da auto sabotagem? Por vezes, se refletirmos bem, acabamos por perder a conta, porque foram várias. As nossas inseguranças sobrepõem-se, até porque acho que temos um enorme medo do ridículo, de falhar, de não estar à altura... Nem sempre é fácil contrariar a nossa tendência de abandonar uma ideia mais arrojada, mas é um esforço diário que devemos implementar

    ResponderEliminar
  3. Devemos lutar sempre contra os nossos obstáculos, por mais duros que nos pareçam. Vão tornar-nos pessoas melhores! Com menos complexos e mais livres para sermos e fazermos o que queremos e gostamos.
    Gostei bastante da tua participação nesta TAG e, confesso... Fica muito melhor em vídeo, haha!
    Obrigada também pela referência ao meu blog! *-*

    Beijinhos!

    ResponderEliminar

A resposta aos comentários é dada na própria caixa de comentários.

Não serão aprovados comentários de carácter ofensivo (para mim, para quem possa estar mencionado no texto ou para os meus seguidores e comentadores) e/ou que atentem contra a liberdade humana. Assim como não serão aprovados comentários que incentivem o ódio.