1+3 | CORAGEM

1+3 - coragem
Acho o conceito de coragem um conceito interessante. Apesar daquilo que o dicionário diz, cada um acaba por ter uma definição de coragem diferente, seja porque vemos coragem em situações em que outros não o consideram, seja porque pensamos que a situação não o exige. Talvez isto aconteça porque as situações que põem alguém à prova são diferentes, dependem de cada um. Mas a coragem lá se vai manifestando. E vem em várias formas, todas diferentes. Pode ser um resultado negativo na candidatura à universidade, que nos faz repensar a vida. Pode ser despedirmo-nos de um emprego. Pode ser a calma com que reagimos a situação de assédio. Poder ser o acto simples de nos levantarmos da cama e enfrentarmos um novo dia. Pode ser a forma como olhamos alguém nos olhos e dizemos, a medo, o que sentimos. Coragem é um conceito interesse. Já tive coragem tantas vezes e já a perdi tantas outras.

Enquanto pensava na forma como ia abordar este tema, vi um dos melhores episódios de Comedians in Cars Getting Coffee, o programa que o Jerry Seinfeld tem na Netflix. Neste episódio, de 2012, o convidado era o Michael Richards, que fez o papel de Kramer em Seinfeld. A personagem do Michael Richards era, quase de caras, a melhor da série. No entanto, em 2005/2006, numa noite de stand-up num bar, o Richards passou-se um bocadinho e fez alguns comentários racistas. No Comedians in Cars ele menciona o incidente e diz que aquele episódio o destruiu em parte e que foi uma atitude egoísta.

E é aqui que entra a coragem. A coragem de admitir que errámos. A coragem de admitir algo aos outros e a nós próprios, principalmente. Admitir que errámos, admitir que sentimos ou não sentimos algo, admitir o que for. Também é preciso ter coragem para lidarmos connosco e com os outros. Eu nem sempre tenho coragem. Às vezes até um pequeno texto do género deste exige que eu vá buscar forças escondidas não sei bem onde só para o escrever. E penso em todos os momentos em que precisei de ser corajosa e acredito cada vez mais que só precisamos de uns segundos de coragem. Uns segundos de coragem e tudo muda.




3 Theories So Far

  1. Nem mais, ás vezes é preciso ir buscar um bocadinho de coragem para continuar da melhor forma possível!

    ResponderEliminar
  2. A coragem é algo pessoal, precisamente por tudo o que mencionaste no primeiro parágrafo. Há momentos em que a temos, há outro em que nos escapa por entre os dedos e há alturas em que não a identificamos como tal. E tudo faz parte.
    Por vezes, a coragem precisa de ser aliada a uma dose de insanidade :)

    ResponderEliminar
  3. Não poderia não estar de acordo contigo. A coragem é diferente de pessoa para pessoa, tal como referes, e bem.
    Às vezes ela vem, outras vezes ela vai, é natural e faz parte, nem sempre somos corajosos. Pois, a vida vai-nos trocando as voltas e é normal que, por vezes, receemos o que vem depois, faltando-nos a coragem. O importante é continuarmos a ir e, sem darmos conta, ela lá está presente nos nossos dias.

    ResponderEliminar

A resposta aos comentários é dada na própria caixa de comentários.

Não serão aprovados comentários de carácter ofensivo (para mim, para quem possa estar mencionado no texto ou para os meus seguidores e comentadores) e/ou que atentem contra a liberdade humana. Assim como não serão aprovados comentários que incentivem o ódio.