1+3 | UMA REGRA

1+3 - uma regra
De todos os temas já lançados do Desafio 1+3, este foi aquele que mais me fez pensar. Uma regra? Mas uma regra como? Ai! Mas que regra? Mas eu não sigo regras (#rebelde)! Ok, claro que sigo regras! Mas então de que regra vou falar? S-O-C-O-R-R-O! (...) Quando passou o drama, soube exactamente a regra de que queria falar, que até tem a ver com o drama da escolha da regra: quando começo a pensar demasiado é a altura em que tenho de parar.

Há um episódio de How I Met Your Mother, na terceira temporada, em que o Barney é rejeitado pela mulher com quem perdeu a virgindade e isso afecta-o de tal forma que, mais tarde, ele está numa festa da Victoria's Secret e não consegue ser coerente quando fala com as modelos. Até que a Heidi Klum vem e explica ao Barney e ao Ted que é melhor o Barney ter cuidado e não pensar demasiado pois, caso contrário, ainda ficará com the yips, algo como um bloqueio. Isto é precisamente o que me acontece quando começo a pensar demasiado sobre algo: acabo por me sentir bloqueada e não consigo agir. Era mais ou menos isso que estava a acontecer com este texto, era isso que acontecia durante muito tempo sempre que eu tentava escrever ficção. E era muito limitador.

Foi assim que decidi impor algo a mim própria: sempre que começo a pensar demasiado sobre algo tenho de parar, abstrair-me, deixar o assunto de lado e ir fazer outra coisa. Isto causa muitas discussões mentais, mas tive de o fazer porque, caso contrário, havia muitas coisas que não estariam feitas. Parece algo perfeitamente normal, se calhar nem acham nada extraordinário, mas acreditem que se torna muito complicado quando queremos fazer algo e o nosso cérebro grita motivos para não fazermos, motivos pelos quais não vai correr bem, motivos pelos quais não importa. Não é fácil, mas quando conseguimos dar a volta percebemos também o quanto nos limitamos por pensarmos demasiado em algo que devia ser simples. Como escrever um texto sobre uma regra.




5 Theories So Far

  1. Chega a um momento em que parar é crucial, porque é isso que nos ajuda a acalmar, a colocar as coisas em perspetiva e a conseguir organizar os pensamentos. Mais vale perder um pouco mais de tempo parados, do que insistirmos em avançar e depois vermos que não há bases sólidas que sustentem esses avanços.
    Não há muitos dias, esteve a repetir esse episódio na Fox Comedy e reforcei a certeza de que esse momento nos transmite imensas lições :)

    ResponderEliminar
  2. É uma regra que, por vezes, também tenho de aplicar em mim própria. Arejar e fazer coisas que me distraiam do pensamento ajuda-me a regressar à ideia com mais clareza e sensatez. Boa partilha, Sofia :)

    ResponderEliminar
  3. Também sou um bocadinho assim, penso demasiado! E, às vezes, é preciso parar...

    ResponderEliminar
  4. "Mas eu não sigo regras!" Tão eu xD.
    É uma regra que me custa muito a cumprir. Dou por mim a pensar demasiado muitas vezes e analisar tudo ao mais ínfimo pormenor, o que realmente é muito cansativo.
    Muito obrigada por este texto, inspiraste-me a usar esta regra em mim própria :).
    Beijinhos
    Blog: Life of Cherry

    ResponderEliminar
  5. Acho que todos nós temos momentos desses, em que pensar demasiado só nos atrapalha e deixa mesmo cansados mentalmente.
    Por isso, sim, é preciso parar, de forma a organizarmos a mente e para não "complicarmos" o que pode ser tão simples.
    É uma boa regra, também tenho de a usar de vez em quando :)

    ResponderEliminar

A resposta aos comentários é dada na própria caixa de comentários.

Não serão aprovados comentários de carácter ofensivo (para mim, para quem possa estar mencionado no texto ou para os meus seguidores e comentadores) e/ou que atentem contra a liberdade humana. Assim como não serão aprovados comentários que incentivem o ódio.