A DESPENALIZAÇÃO DA EUTANÁSIA

eutanásia
Há muitos anos que me lembro de debater o assunto eutanásia e, curiosamente, nestes anos todos a minha opinião foi sempre a mesma: sou a favor da eutanásia. O assunto está na ordem do dia e vai a votos no Parlamento (no momento em que estou a escrever ainda não começou a votação). Por estar na ordem do dia e por as pessoas adorarem espalhar opiniões pelas redes sociais, tenho lido algumas afirmações muito estranhas e demonstradoras de falta de conhecimento. A falta de conhecimento e de informação é sempre um problema em Portugal. As pessoas não compreendem realmente de que se fala em determinados assuntos e depois adoptam opiniões que muitas vezes não são suas. O caso da eutanásia é mais um desses assuntos.

Lembro-me de, em algumas aulas de Filosofia (penso eu), termos feito trabalhos em que tínhamos de argumentar a favor da eutanásia e contra a mesma. Também me lembro de compreender alguns factores apresentados para estar contra, mas, acima de tudo, sempre achei que as pessoas deviam ter direito a escolher. Há um filme (ainda não li o livro!), o Me Before You, onde a eutanásia é abordada e mais uma vez vi motivos para continuar a ser a favor. Algo que as pessoas têm de compreender é que a despenalização da eutanásia não significa que se vá começar a matar pessoas só porque sim. Não sei em que distopia é que algumas pessoas vivem, mas não estamos na selva, não é só legalizar e começar a matar gente. Mas esta gente não pensa?

Sou a favor da eutanásia porque, se um dia der por mim (batam na madeira!) numa situação de uma doença incurável que me vai fazer sofrer para o resto da vida e que vai também mudar a vida dos que me rodeiam e fazê-los sofrer também, que me vai tirar qualidade de vida, que me vai mudar, sinceramente, quero poder escolher entre sofrer (fazendo sempre sofrer os que me vêem sofrer) ou poder finalmente descansar. Sim, quero ter esse poder de escolha. E é isso que as pessoas que são a favor querem: poder escolher.

Nos países onde a eutanásia é permitida, faz-se um acompanhamento de cada caso, não só a nível físico mas também psicológico. Avaliam-se as opções, toma-se uma decisão de forma consciente e ponderada, que terá de ser sempre acompanhada por profissionais. Além disso, terá de ser criada legislação para que tudo seja feito da melhor forma. Tal como disse: não é só despenalizar e morrer, okay? E a despenalização da eutanásia não significa que toda a gente tenha de a escolher para si, como é óbvio.

A eutanásia é uma escolha de cada um. E por muito que haja pessoas que juram a pés juntos que nunca quereriam a eutanásia para si, esquecem-se de que não temos de querer todos o mesmo e se para uns temos de viver com aquilo que temos, mesmo que isso implique estarmos até ao último suspiro a sofrer e a ver os que nos são queridos sentirem-se mal por não poderem ajudar-nos, para outros (para mim) trata-se de permitir a cada um decidir se quer passar meses, anos, a viver uma meia-vida, a sofrer, a deixar de ser a pessoa que era.


3 Theories So Far

  1. Concordo completamente com a tua opinião, também sou a favor do direito à escolha - escolha essa que seria bastante ponderada e acompanhada por relatórios públicos. No momento em que escrevo este comentário, a eutanásia já foi chumbada e, apesar de ficar um pouco aborrecida com o assunto, compreendo que a maioria da sociedade portuguesa não esteja preparada para um passo tal liberal como este. Aos poucos e poucos, educando uma mente de cada, iremos conseguir lá chegar!

    Beijinhos,
    www.the-mjournal.com

    ResponderEliminar
  2. Caramba, haja bom senso! Leio cada barbaridade por aí...obrigada por este teu pedacinho de consciência. A eutanásia é isso: o poder de escolha. Não é uma obrigação, não é uma imposição, não é uma questão de eutanásia vs cuidados paliativos. Eu apoio a 100% a legalização e no entanto não penso que tivesse a coragem de a pedir para mim - sei lá eu, espero nunca vir a saber!... no entanto, entendo porque foi chumbada. A realidade é que é uma decisão política que é arriscada a nível da opinião pública e nenhum dos nossos representantes quer assumir essa responsabilidade. Espero que vá a referendo!

    Jiji

    ResponderEliminar
  3. No momento em que escrevo este comentário, a eutanásia já foi chumbada, e foi mesmo triste. Ainda mais triste foi ver os deputados a aplaudirem e a festejarem, enquanto muitos doentes vêem agora o seu sofrimento prolongado. Quero acreditar que esta não é a opinião da maior parte da sociedade portuguesa, mas apenas de um grupo privilegiado de portugueses que não tem noção da realidade e do sofrimento que muitos passam. Quem me dera que este assunto fosse a referendo.
    Beijinhos
    Blog: Life of Cherry

    ResponderEliminar

A resposta aos comentários é dada na própria caixa de comentários.

Não serão aprovados comentários de carácter ofensivo (para mim, para quem possa estar mencionado no texto ou para os meus seguidores e comentadores) e/ou que atentem contra a liberdade humana. Assim como não serão aprovados comentários que incentivem o ódio.