1+3 | CORAGEM

1+3 - coragem
Acho o conceito de coragem um conceito interessante. Apesar daquilo que o dicionário diz, cada um acaba por ter uma definição de coragem diferente, seja porque vemos coragem em situações em que outros não o consideram, seja porque pensamos que a situação não o exige. Talvez isto aconteça porque as situações que põem alguém à prova são diferentes, dependem de cada um. Mas a coragem lá se vai manifestando. E vem em várias formas, todas diferentes. Pode ser um resultado negativo na candidatura à universidade, que nos faz repensar a vida. Pode ser despedirmo-nos de um emprego. Pode ser a calma com que reagimos a situação de assédio. Poder ser o acto simples de nos levantarmos da cama e enfrentarmos um novo dia. Pode ser a forma como olhamos alguém nos olhos e dizemos, a medo, o que sentimos. Coragem é um conceito interesse. Já tive coragem tantas vezes e já a perdi tantas outras.

Enquanto pensava na forma como ia abordar este tema, vi um dos melhores episódios de Comedians in Cars Getting Coffee, o programa que o Jerry Seinfeld tem na Netflix. Neste episódio, de 2012, o convidado era o Michael Richards, que fez o papel de Kramer em Seinfeld. A personagem do Michael Richards era, quase de caras, a melhor da série. No entanto, em 2005/2006, numa noite de stand-up num bar, o Richards passou-se um bocadinho e fez alguns comentários racistas. No Comedians in Cars ele menciona o incidente e diz que aquele episódio o destruiu em parte e que foi uma atitude egoísta.

E é aqui que entra a coragem. A coragem de admitir que errámos. A coragem de admitir algo aos outros e a nós próprios, principalmente. Admitir que errámos, admitir que sentimos ou não sentimos algo, admitir o que for. Também é preciso ter coragem para lidarmos connosco e com os outros. Eu nem sempre tenho coragem. Às vezes até um pequeno texto do género deste exige que eu vá buscar forças escondidas não sei bem onde só para o escrever. E penso em todos os momentos em que precisei de ser corajosa e acredito cada vez mais que só precisamos de uns segundos de coragem. Uns segundos de coragem e tudo muda.




5 CONTAS DE INSTAGRAM QUE DEVIAM SEGUIR

sugestões instagram
Uma das primeiras sugestões de publicações para Agosto que recebi foi sobre contas de Instagram que recomendo. Eu passo mais tempo do que aquele que gostaria de admitir no Instagram (@asofiaworld). Recentemente fiz uma dupla limpeza por lá: deixei de seguir algumas contas e eliminei mais de dois terços das contas que me seguiam. Sim, fiz isso. É quase ser do contra, mas era necessário. Além disso, também estava a seguir muitas mais contas do que aquelas que acabava por ver no feed, por isso estava tudo a precisar de dar uma nova vida à rede social.

Escolher as contas que queria sugerir não foi difícil, mas havia alguma disparidade entre elas a nível de seguidores, por isso decidi que ia fazer duas partes: uma com contas com menos de 6 mil seguidores e outra com mais de 6 mil seguidores. Estas são cinco das contas incríveis que sigo que têm menos de 6 mil seguidores.


ESQUECIDO: E SE PERDESSES QUATRO ANOS DE MEMÓRIAS?

esquecido - diogo simões
A primeira coisa em que pensei quando li a sinopse de Esquecido foi: como é que seria perder a memória dos últimos quatro anos? Isto porque essa é a premissa do mais recente livro do Diogo Simões: Duarte tem um acidente de carro e, quando acorda, perdeu a memória dos últimos quatro anos, pelo que acha que ainda tem 15 anos e não faz ideia de como a vida dele mudou nos anos que, agora, parecem perdidos.

O meu primeiro contacto com a escrita do Diogo aconteceu em Março, tal como vos contei na altura, e a primeira coisa que posso dizer-vos é que se nota alguma evolução na forma como a história é construída. Este livro é narrado por duas personagens, alternadamente: o Duarte, que tem o acidente, e a Ana, a mãe do Duarte. Por um lado, acompanhamos o Duarte nos primeiros dias a seguir ao acidente, sem memória e a esforçar-se por se recordar de quem é no presente. Por outro, temos a mãe do Duarte e a forma como ela lida com o acidente e com as consequências do mesmo.

Além do Duarte e da Ana, temos a Filipa (namorada do Duarte) e a Catarina (melhor amiga), a Cátia, que é a irmã, o Olívio, o Pedro, o pai do Duarte, o Ricardo, mais um amigo do Duarte. Gostei da dinâmica Duarte - Ricardo, que só se nota mais para o final da história. Confesso que, ali a certo ponto, quase torci para que no final houvesse um grande plot twist e eles ficassem juntos. Não houve, não há aqui nenhum spoiler. Aquilo que vai acontecendo, isso sim, é percebermos que o acidente é apenas uma pequena parte daquilo em que Duarte está envolvido



1+3 | MEDO

desafio 1+3 - medo
Há uma certa resistência em admitir medos. Como se não fosse aceitável a alguém ter medo. As pessoas perguntam mas tens medo? com o desdém de quem finge não ter medos. E então parece que só é possível admitir medos no escuro... no mesmo escuro de que, por vezes, temos medo. Curiosamente, estou mesmo a escrever sobre medos no escuro. Mas só porque é quase meia-noite e estão trinta graus ou algo do género e tenho algum medo de derreter se acender a luz.

Eu tenho medos de todo o tipo. Medos irracionais, que não compreendo de onde vieram; medos que só admito a mim própria; medos que se calhar já não devia ter. E excluindo aqueles irracionais com os quais não sei lidar, acho que os medos devem todos ser vistos da mesma forma: é só algo que temos de ultrapassar. Já ultrapassámos tanto, não é uma coisa destas que nos pode parar. Claro que às vezes vamos correr pelo corredor só porque está demasiado escuro. Vamos demorar mais a adormecer enquanto pensamos como seria difícil lidar com determinado medo. Vamos respirar fundo várias vezes e suar um bocadinho mais do que o normal quando estivermos num sítio muito alto.

Mas é aí que não vamos parar, não vamos deixar que o medo nos pare. É uma luta interna que se trava em pequenas batalhas, que nem sempre vencemos, mas continuamos a tentar. Acima de tudo, é disso que se trata, não é? Continuar a tentar ultrapassar os nossos medos, a tentar viver com eles. Eventualmente, havemos de conseguir, não é?


5 SÍTIOS PORTUGUESES QUE ADORO

5 sítios portugueses
Aqui há dias, pedi sugestões de publicações no Instagram (@asofiaworld) e uma das ideias que me deram foi falar do melhor destino a que já fui. Ora, eu não conheço assim tantos sítios, infelizmente, por isso fiquei um bocadinho de pé atrás com a sugestão. Provavelmente, a escolha recairia sobre o Porto. Mas depois lembrei-me de, em vez de vos falar de um único destino, listar os cinco locais portugueses de que mais gosto. Fica o desafio: quais são os vossos 5 locais preferidos em Portugal?