HOLD STILL [NINA LACOUR]

*esta publicação inclui links de afiliados*
Hold Still - Nina LaCour
Tenho sempre receio de ler livros onde, por algum motivo, se aborde o suicídio. Tenho receio da forma como introduzem o tema, como o explicam e até mesmo da responsabilidade que é necessária para tratar o tema. Hold Still, da Nina LaCour, é um livro complicado, que deixa um nó na garganta e que mostra que é possível falar correctamente sobre saúde mental num livro para jovens adultos, sem sensacionalismo, sem irresponsabilidade.

A história resume-se assim: a melhor amiga de Caitlin, Ingrid, morreu por suicídio e Caitlin é deixada sozinha, com milhares de perguntas e dúvidas. A nova aluna da escola, Dylan, tenta aproximar-se dela e criar amizade, mas Caitlin não sabe até que ponto está pronta para uma nova melhor amiga. Quando Caitlin encontra o diário de Ingrid, começa a lê-lo, em busca de respostas, mas nem tudo o que ela encontra é fácil de assimilar.



COMBOIOS QUE PASSAMOS A VIDA A PERDER

comboios
Vamos imaginar a seguinte situação: precisas de apanhar um comboio e, na estação mais próxima, só passam dois comboios. Um vai para Destino De Sonho e o outro vai para Destino Já Visto. Ora, num mundo normal, se queres apanhar um comboio é possível que vás à internet ver o horário. Mas neste mundo não funciona assim. Cada comboio passa a horas aleatórias, em dias aleatórios. Tens de estar sempre a tentar a tua sorte.

Ora, vieste do Destino Já Visto há pouco tempo e decidiste que está na hora de finalmente ires para o Destino de Sonho. Todos os dias tentas comprar bilhete mas já não há. Tentas apanhar o comboio de qualquer forma mas chegas sempre depois de ele sair. Em algumas vezes ainda consegues vê-lo e tentas correr para o apanhar mas só te cansas e ficas em terra.

Vão passando dias. Semanas. Meses. As pessoas começam a cobrar-te o facto de não conseguires sair da merda da estação. "Mas não consegues apanhar um comboio que seja??? Deve haver algum!" E insistem. "Se não há esses comboios então apanha um autocarro para perto. Vai a algum lado." Mas tu queres o comboio, até porque os autocarros não estão a funcionar muito melhor. Sabes que mereces o comboio para o Destino De Sonho. Mas raios partam a tua pontaria de merda!



ELEANOR OLIPHANT IS COMPLETELY FINE [GAIL HONEYMAN]

*esta publicação inclui links de afiliados*
"Eleanor Oliphant is Completely Fine" - Gail Honeyman
Eleanor Oliphant is Completely Fine. A sério. Acreditem! A Eleanor Oliphant está muito bem! Por que raio não havia de estar? Eleanor Oliphant tem 30 anos e uma vida perfeitamente normal: trabalha há 9 anos num escritório e tem uma rotina que inclui pouco mais do que casa, trabalho, vodka e refeições pré-feitas, além da conversa semanal com a mãe. É um tanto excêntrica e não é a pessoa com maior facilidade em ter interacções sociais de sucesso. Mas está tudo bem... até porque Eleanor não sabe que a vida pode ser mais do que isto. Tudo começa a mudar quando ela e Raymond, o informático do escritório, socorrem Sammy, um velhote que se sente mal na rua. Não só o evento abala a rotina de Eleanor, mas também a obriga a começar a interagir com mais pessoas.



MAIO EM LIVROS

Maio em livros
Aaaaah, Maio! O mês em que confirmei que sou alérgica a dois tipos de ácaros, a pólenes de ervas, a camarão (este dói muito porque eu adoro camarão), ligeiramente alérgica a pêlo de cão (embora nunca tenha notado) e muito (muiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiitoooooooooooooooooo) alérgica a pêlo de gato. Sou tão alérgica a pêlo de gato que algo é considerado alergia se o resultado dá, no mínimo, 0,1 e o valor para o gato deu superior a 14. Yap. Eu já suspeitava, porque já tive duas crises de alergia fortes depois de estar próxima de gatos, mas agora é oficial.

Alergias à parte, Maio foi mês de ver terminar Game of Thrones e de publicar não um, mas dois contos! Depois de em Abril ter descurado no projecto Conta-me Histórias, em Maio sabia que tinha de voltar a ter tudo certinho e saíram dois contos. O de Junho já está a ser preparado e, depois, vem o de Julho, para o qual estou muito entusiasmada para começar a trabalhar! Nas leituras, tal como tinha dito algures, li mais em português, mas não exclusivamente em português.


THE BIBLIOPHILE CLUB: EM JUNHO VAMOS LER...

the bibliophile club - tema de junho
Parece que ainda ontem começámos e hoje já vos apresentamos o 6.º tema deste clube literário maravilhoso que é o The Bibliophile Club. Passámos Maio a ler autores portugueses, porque já dizia alguém que o que é nacional é bom, e agora, em Junho, com o Verão a chegar, temos um novo tema para vos apresentar. Em Junho vamos ler...