LICENCIEI-ME HÁ UM ANO E ESTOU NOSTÁLGICA

nostalgia
É um misto de sentimentos: por um lado, parece que foi ontem; por outro, parece que foi há uma vida. Passou um ano desde que terminei a licenciatura. Oficialmente, só me licenciei a 1 de Julho, mas o dia da Bênção foi aquele dia que marcou o fim de uma etapa. Depois de um final de curso atribulado, com as emoções completamente à flor da pele, quando escrevi o tão aclamado texto sobre o final do curso (podem ler, ou reler, o Antes Morrer...), acho que aquilo que mais me assustava era chegar ao dia de hoje, um ano depois, e não haver nada (d)ali, ter sido tudo em vão.

Este ano mudou muitas coisas na minha vida. 2016 foi o ano mais difícil da minha vida, por várias coisas que um dia talvez vos conte, mas também me ensinou muito. A maior parte dos meus planos saiu furado, perdi a minha melhor amiga e companheira de quatro patas, lidei com desemprego, com sair de Lisboa, com achar que nunca mais voltaria a Lisboa, com a limpeza natural da vida em tirar pessoas do nosso caminho. Mas nem tudo foi mau. Aprendi muito sobre mim, cresci muito, decidi trazer o futuro ao presente e inscrevi-me na Pós-Graduação que tanto queria, voltei para Lisboa, voltei a escrever um livro com o objectivo de o terminar. Se há um ano me dissessem que tudo isto ia acontecer, provavelmente teria inundado a igreja de Campo de Ourique.

Mas cá estamos. Passou um ano (e dois dias, na verdade) e posso dizer que não me arrependo, nem por um segundo, do caminho que segui. Não me arrependo de Jornalismo e nunca me arrependerei da ESCS. E isso é o mais importante, não é? Curiosamente, não estou muito longe de voltar um bocadinho àquilo que se seguiu ao final do curso: a incerteza, os envios de currículo, as entrevistas. Mas, desta vez, aguardo serenamente aquilo que se segue. Não tenho medo dos não que sei que vou ouvir; não tenho medo de perder pessoas, porque não há ninguém a perder; não tenho medo do tempo que pode demorar a encontrar o meu sítio; não tenho medo de arriscar no Jornalismo ou no Marketing Digital.

No fim-de-semana tive de escolher palavras para me definir e uma das que escolhi foi intensa. Curiosamente, alguém queria escolher essa palavra para mim. Sou intensa na forma como vivo as coisas. Ou as sinto por completo ou então é como se não existissem. Aquele final de curso foi vivido assim, intensamente. E posso dizer-vos que, apesar de tudo o que mudou na minha vida no último ano, apesar de tudo o que chorei naquele mês final, eu sorrio sempre que me recordo as memórias incríveis que guardo daquelas semanas finais intensas. Afinal, valeu a pena. Valeu muito a pena.


7 Theories So Far

  1. Oh Sofia, como é que eu ainda não te lia? És um bocadinho a minha alma gémea, e não te rias, que eu sei que sou um prato, mas é verdade, és drama queen como eu e fizeste-me muito rir este fim de semana! Sem ti tinha tido um bocadinho menos de magia :) Espero poder estar presente no processo de lidar com as próximas incertezas. Go girl!

    ResponderEliminar
  2. O tempo passa mesmo a correr! Parabéns (super atrasados)pela licenciatura! Quero muito seguir Jornalismo/Ciências da Comunicação, mas está um bocadinho complicado a nível de médias.

    Beijinhos,
    La La Land

    ResponderEliminar
  3. Nostalgia é sempre bom, faz-nos ver que há coisas que valeram a pena e que é por isso que sentimos falta delas.
    Beijinhos querida:)
    http://dailyvlife.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  4. É incrível como o tempo passa. E é tão bom olhar para trás e reparar no que foi conseguido. É natural sentirmos falta do que já lá vai, principalmente quando nos marcou pela positiva.
    Desejo-te a maior sorte para a Pós-graduação e muito sucesso!

    ResponderEliminar
  5. Acho que fazes mesmo bem em não ter medo, porque se em Portugal não der, já sabes que te arranjo trabalhinho aqui para estes lados :)

    ResponderEliminar
  6. não tenhas medo :) continua o teu caminho sempre a olhar em frente e com esperança e as coisas boas virão!

    ResponderEliminar
  7. Podes ter terminado a licenciatura há um ano, mas é incrível ver que, doze meses depois, estás ainda mais fantástica que antes! Continua a lutar pelos teus objetivos e a ter essa força sobre-humana que te caracteriza!
    Obrigada por seres quem és e por me aturares <3

    Estranha Forma de Ser Jornalista
    http://estranhaformadeserjornalista.blogspot.pt/

    ResponderEliminar

A resposta aos comentários é dada na própria caixa de comentários.

Não serão aprovados comentários de carácter ofensivo (para mim, para quem possa estar mencionado no texto ou para os meus seguidores e comentadores) e/ou que atentem contra a liberdade humana. Assim como não serão aprovados comentários de ódio puro.