SOBRE COISAS FELIZES: O ESTORIL OPEN 2017

Millennium Estoril Open 2017
Então achavam que eu ia ao Millennium Estoril Open e não falava sobre isso? You know nothing, Jon Snow! Tal como vos contei na incrível publicação sobre o que vestir para ir ao Estoril Open, estava muito entusiasmada por finalmente ir a um torneio e as expectativas foram superadas! Fui nos dias 1 e 2 de Maio (a primeira ronda) e nos dias 6 e 7 (semi-finais e final). O evento estava bem organizado e o staff também foi sempre simpático. Havia shuttles gratuitos entre a estação do Estoril (ou o Autódromo) e o Clube de Ténis do Estoril e o máximo que tive de esperar na estação foi 5 minutos. Também ajudou o facto de haver preços especiais para quem apresentasse o bilhete para o evento nas bilheteiras da CP. No recinto em si, também foi fácil orientar-me e explorar um bocadinho aquilo que por lá havia.

Quanto ao ténis... bem... adorei, adorei, adorei, ADOREI!!! Na segunda-feira, assim que cheguei, vi um bocadinho do treino do David Ferrer e o meu coraçãozinho ficou apertado. Ele não jogava na primeira ronda e eu não sabia se ele iria chegar às semi-finais, pelo que poderia não o ver jogar ao vivo. Ao fim de uns minutos já estava triste por não poder ir mais dias (não tive sorte em nenhum dos passatempos em que participei). Felizmente, tive sorte no torneio e ele chegou mesmo às semi-finais! Cresci a ver o Ferrer na televisão e sempre sonhei vê-lo ao vivo (assim como ao Federer, ao Nadal, à Sharapova, etc,). Vê-lo ali, à minha frente, tanto no treino como na semi-final... foi qualquer coisa de incrível! Outro momento incrível foi ver o Juan Martín Del Potro jogar na terça-feira. Infelizmente, ele teve de desistir do torneio no dia seguinte a esse encontro, porque o avô morreu, por isso senti-me realmente sortuda por poder vê-lo jogar (e jogar muito bem).

Millennium Estoril Open 2017
Frederico Ferreira Silva
Millennium Estoril Open 2017
Juan Martín Del Potro - Millennium Estoril Open 2017
Juan Martín Del Potro

Algo que não notei nos dias em que fui foi falta de pessoas. Fui em dias que estiveram sempre esgotados e isso notava-se. Os encontros jogados por portugueses, nos dois primeiros dias, estavam cheios e o público foi incrível e incansável, tanto com os jogadores que passaram à 2.ª ronda (o meu querido Gastão, o João Domingues, o Frederico Silva e o Pedro Sousa) como com o João Sousa, que perdeu logo no primeiro jogo. Gostei muito do ambiente! Muito mais saudável e respeitador do que noutros desportos, mas, acima de tudo, muito inclusivo. Fui sozinha todos os dias e todos os dias acabava a conversar com as pessoas ao meu lado, a trocar impressões sobre os encontros e sobre os jogadores. No 2.º dia, por exemplo, acabámos a rir do encontro do Pedro Sousa conta o Paul Henri-Mathieu por causa de um grupo de franceses que estava a ver o encontro à nossa frente e já tinha bebido um bocadinho.
David Ferrer - Millennium Estoril Open 2017
David Ferrer
Pablo Carreño-Busta - Millennium Estoril Open 2017
Pablo Carreño-Busta - Millennium Estoril Open 2017
Pablo Carreño-Busta, na semi-final

Também não posso deixar de referir o último dia. Se, durante a final de pares, o estádio já estava muito bem composto, durante a final de singulares... aquilo estava cheio!!! Do que eu conseguia ver, havia uns 7 ou 8 lugares livres perto de mim e... mais nada. Só via cabeças, muita gente diferente e muita gente que eu nem percebi quem estavam a apoiar porque a magia do ténis também está nisso: absorver o ambiente de tal forma que dás por ti a festejar cada ponto de cada jogador. Mas ganhou o Carreño-Busta, por quem, inconscientemente, eu estava a torcer. No final, queria tirar-lhe umas fotos mais de perto e acabei a pedir-lhe também um autógrafozinho. Ele é muito simpático com os fãs, muito sorridente, e agradeceu de forma muito querida quando lhe dei os parabéns. Tenho uma nova crush tenística... bye bye, Dimitrov! (nop, não consigo abandonar o Grigorzinho assim!)
Ryan Harrison & Michael Venus - Millennium Estoril Open 2017
Os campeões de pares: Ryan Harrison, que fazia anos nesse dia, e Michael Venus
Millennium Estoril Open 2017
Detalhes bonitos do court principal
Pablo Carreño-Busta - Millennium Estoril Open 2017
Pablo Carreño-Busta - Millennium Estoril Open 2017
The one and only, your 2017 champion: Pablo Carreño-Busta a dar autógrafos no final

No meio disto tudo, já estou com saudades daquela rotinazinha de fazer a linha de Cascais para ir ver ténis. Para o ano quero ir outra vez! Foi muito agradável tirar horas do meu dia para estar sentada a ver ténis, sem preocupações, sem multi-tasking, sem pressas. Para terminar, deixem-me aproveitar a oportunidade para dar os parabéns à incrível equipa de social media do torneio. O feed de Twitter deles esteve sempre impecável, assim como o Facebok e Instagram. Alguns eventos deviam aprender mais com eles. E olhem que eu diria o mesmo se não soubesse quem foram os responsáveis pelo trabalho.


3 Theories So Far

  1. Preciso que vas ao mail urgente sff

    ResponderEliminar
  2. Gostei do post. nota-se mesmo que gostaste de ir e que de certeza que vais voltar.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Adorei mesmo! Já estou a contar os dias para a próxima edição :p

      Eliminar

A resposta aos comentários é dada na própria caixa de comentários.

Não serão aprovados comentários de carácter ofensivo (para mim, para quem possa estar mencionado no texto ou para os meus seguidores e comentadores) e/ou que atentem contra a liberdade humana. Assim como não serão aprovados comentários de ódio puro.