#RWSP17: HACHI - A DOG'S TALE

Hachi - a Dog's Tale
Hesitei muito antes de decidir rever este filme. Afinal, quando o vi pela primeira vez, há quatro anos, acabei o filme agarrada à Dama, a chorar. Tinha medo de o rever: a quem me ia agarrar a chorar agora? Aliás... iria eu conseguir ver o filme inteiro? Foi difícil. Tive de fazer pausa várias vezes. Mas um filme destes, tão bonito, com uma mensagem tão simples e, ao mesmo tempo, tão poderosa... era impossível não rever.

Baseado numa história verídica, tal como o tema deste mês do #RWSP17 pedia, Hachi - a Dog's Tale é a história de amor mais bonita que pode existir: o amor entre um cão e o seu dono. O filme começa com uma turma de alunos que estão a fazer apresentações sobre os seus heróis. Ronnie começa, então, a contar a história do seu herói: Hachiko, o cão do avô e o protagonista desta história.

Tudo começa quando Parker, professor universitário interpretado por Richard Gere, encontra um cão perdido na estação de comboio. O cão, um Akita Inu puro, vinha num carregamento especial do Japão para os Estados Unidos mas a caixa acabou perdida. Como o guarda da estação se recusa a levar o cão, Parker decide levá-lo para casa por uma noite. No dia seguinte, ainda sem encontrar o dono do cão, Parker leva-o para a universidade onde dá aulas e é lá que um professor japonês consegue traduzir a coleira do cão, onde está escrito hachi. Hachi é o número 8, o número da sorte para os japoneses, e então Parker decide que esse será o nome do cão.

Hachi e Parker tornam-se inseparáveis e Hachi todos os dias ia esperar Parker à estação de comboio... até ao dia em que Parker morre. Hachi nesse dia espera por Parker na estação, mas Parker nunca mais chega e tem de ser o filho de Parker a ir buscá-lo. Durante os anos que se seguem, Hachi continua a ir todos os dias para a estação de comboio esperar o dono. Esta história é baseada na história do Hachiko verdadeiro, adoptado em 1923, cujo dono morreu em 1925. Durante os nove anos que se seguiram, o cão esperou o dono todos os dias, sem excepção, na estação de comboio de Shibuya, até ter falecido.



Já conheciam o filme?

Esta publicação está inserida no Re-Watching Season Project 2017
Podem também passar pelo blog da Lyne e pelo blog do Jota para saber o que eles andam a rever.


5 Theories So Far

  1. já ouvi falar, tenho de ver!
    beijinhos

    ultimo post: http://eyeelement.blogspot.com/2017/04/madrid.html

    ResponderEliminar
  2. Já tinha ouvido falar sobre a história mas não sabia que havia um filme sobre o acontecimento. Acho que não consigo ver o filme, só de pensar na tristeza!!

    Beijinhos!!
    Black Rainbow Instagram

    ResponderEliminar
  3. Não aguento - só de pensar na história quase choro! Nunca vi este filme por saber que vou ficar desfeita. Acho que o amor que os animais sentem pelos donos é das coisas mais puras e bonitas no mundo...

    Jiji

    ResponderEliminar
  4. Oh minha querida, eu sei que amaste, amas e sempre amarás a Dama, e não te esqueças de que ela olhará sempre por e para ti, sim?
    Ainda bem que reviste este filme e refletiste (sei que por outro lado te fez mal, mas pronto) :') Pensa sempre nos bons momentos que passaste com a tua pequena!

    Estranha Forma de Ser Jornalista
    http://estranhaformadeserjornalista.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  5. Olá Sofia,

    Sim, já vi e acho que foi o filme em que chorei mais "baba e ranho".
    Fizeram uma estátua do cão no lugar onde ele esperava ♥


    https://bomdestino.wordpress.com/

    ResponderEliminar