13 REASONS WHY: COMO UMA SÉRIE PODE AJUDAR TANTA GENTE

13 Reasons Why
É a série do momento e faz jus à fama que tem. 13 Reasons Why é tão importante! Li o livro antes de começar a série e posso dizer-vos, sem vergonhas, que a série é muito mais forte e muito melhor do que o livro. Demorei um bocadinho a ver a série porque, além de ter de fazer um trabalho no intervalo dos episódios, fiquei muito tempo a pensar na vida depois de cada episódio. Algumas coisas foram um murro no estômago para mim.

A esta altura já devem saber, mas 13 Reasons Why, baseada no livro com o mesmo título (em português é Por Treze Razões), conta a história de Hannah Baker. Hannah suicidou-se e deixou cassetes com 13 razões para o ter feito. Cada razão corresponde a alguém que fez algo que se transformou numa bola de neve impossível de parar. O que faz com que esta série nos deixe a passar mal durante um bom bocado é que já todos fomos as razões de alguém, quer tenhamos feito por isso quer não, e alguns já foram a Hannah. Eu já fui a Hannah. Provavelmente também já fui uma das razões, das mais inofensivas, mas uma das razões. 13 Reasons é importante e todos temos coisas importantes a aprender com ela.

13 Reasons Why
Confesso que me chateou ver, nas redes sociais, pessoas a dizer que havia motivos pequenos ou fúteis. Pequenos ou grandes, são os motivos da Hannah e, sinceramente, às vezes só quem passa pelas coisas consegue realmente saber o que é sentir tudo aquilo. O tema é forte, é importante, mas também me deixou a pensar em mais do que isso. Podia contar-vos as minhas 13 reasons, mas acho que devo antes concentrar-me nas minhas boas 13 reasons, nas pessoas que melhoraram a minha vida, que me fizeram sentir que não estava sozinha neste mundo grande e assustador. Acho que este é um bom exercício: tentarmos pensar nas pessoas que valem a pena, que são boas para nós. Talvez isso ajude a evitar desfechos infelizes.

Ontem, depois de ver o último episódio, depois de chorar durante um bocado e depois de ficar durante uma hora e tal a pensar e repensar em tudo o que tinha acabado de ver, dei por mim a pensar em como aquelas personagens eram mais do que personagens, em como eram pessoas reais, daquelas que se cruzaram comigo nos corredores do Básico, da Secundário e até da Universidade. A certo ponto estava a ficar tão afectada com a situação que tive de parar e tentar pensar ao contrário, num exercício que venho partilhar hoje. Em vez de pensar nas minhas 13 reasons pensei nas pessoas que me salvaram, que souberam sempre apaziguar as que mereciam um par de estalos e uma cassete da Hannah.
13 Reasons Why
Sei que parece que estou a tornar muito leve um assunto sério, mas não estou. No entanto, acho importante, depois de sofrermos tanto com a série, lembrarmo-nos do que de bom temos. Porque temos. E então, depois de chorar as mágoas da Hannah e as minhas, dei por mim a agradecer as pessoas que tive a sorte de ter. Aquilo que dizemos e fazemos, ou não dizemos e não fazemos (ain't that right, Clay?), aos outros tem um impacto tão grande na vida deles!

A série mexeu comigo porque era impossível não o fazer, tendo em conta todas as semelhanças que consegui traçar com a vida real. Mas também mexeu comigo porque, por muito que já me tenha sentido como a Hannah — sozinha, desamparada, perdida, sem amigos —, consegui sempre encontrar razões boas. Mas às vezes não é fácil. Porque alguém lança um rumor maldoso e esse rumor se propaga qual epidemia, mesmo quando não tem qualquer fundamento; porque alguém decide sexualizar-nos de tal forma que se sente no direito de nos ver apenas como um belo rabo ou um belo par de mamas e porque se sente no direito de nos tratar assim, de nos olhar nas mamas e não nos olhos, de nos apalpar se assim o entender; porque alguém decide já não ser noss@ amig@ porque arranjou namorad@ e nos abandona quando nós só precisávamos mesmo de alguém lá; porque alguém decide fazer uma lista estúpida (best ass in class) e essa lista tem um efeito catrastófico; porque há quem não consiga ver além dos rumores; porque há quem prefira atirar os outros aos leões em vez de enfrentar os próprios fantasmas; porque há quem nos queira fazer sentir mal no nosso corpo, na nossa pele; porque há quem tenha medo de (nos) amar e nos faça sentir un-lovable. Porque há muitas razões e pouca consideração.
13 Reasons Why
Mas, se perdermos o medo e dissermos o que nos vai na alma, se calhar encontramos alguém que se importa, que nos quer ver bem, que nos quer ajudar. Se calhar esse alguém vai fazer-te sentir mais do que o tal par de mamas; se calhar vai ignorar os rumores e conhecer-te realmente; se calhar vai largar tudo, incluindo o namorado, para estar contigo quando o teu mundo está a desabar; se calhar vai mostrar-te que acredita que tens um talento imenso e que o teu trabalho está a dar bons resultados; se calhar vai dar-nos um abraço mesmo que não goste de o fazer; se calhar vai simplesmente estar lá para nós, à distância de um preciso de ti; se calhar alguém te vai amar com todas as forças, com tudo o que tem e não tem, sem esperar nada em troca, sem ter medo de o gritar para todo o mundo ouvir.

Uma simples palavra, uma simples acção, pode mudar tudo: para o melhor e para o pior. Se um dia for a razão de alguém, espero ser a razão para continuar, para lutar, para viver. E espero ter sempre razões dessas. E espero que vocês também tenham. Mesmo que pensem que não, acredito que tenham. Procurem-nas. Não deixem que uma bola de neve se transforme numa avalanche.


Se te sentes triste, sozinho ou desamparado, por favor, conversa realmente sobre isso com alguém. Não aches que não vale a pena. Vale sempre a pena. Há sempre uma pessoa no mundo que se importa. Acredita que sim! Se precisares de ajuda, a série tem um site oficial com vários contactos úteis.


7 Theories So Far

  1. Ando em pulgas para começar a ver a série, mas ainda não tive tempo. Realmente é uma temática em que me revejo, pois como dizes já tivemos as razões e já fomos as razões de alguém. Por isso acho que vou ficar coladinha na série se começar a ver :D
    let's do nothing today

    ResponderEliminar
  2. Tenho andado ao máximo a evitar ler o que quer que seja desta série, porque o hype está a ser enorme e eu não quero criar expectativas (este é o segundo texto - e último - que vou ler sobre a série!). E sem dúvida que me deixaste ainda mais curiosa. Ainda não tinha bem noção no que se baseava a série e acabaste de me deixar rendida com o "Hannah suicidou-se e deixou cassetes com 13 razões para o ter feito". Depois de ter lido essa simples frase, a vontade de ver a série aumentou exponencialmente.

    ResponderEliminar
  3. Já li maravilhas da série e estou muito curiosa. Retrata um tema importante de ser falado e cada vez mais presente.

    ResponderEliminar
  4. Já vi a serie, e tal como a ti, deixou-me a pensar imenso sobre o assunto. É um assunto que deve ser falado e discutido em todo o lado!!

    Beijinhos!!
    Black Rainbow Instagram

    ResponderEliminar
  5. Ainda não acabei de ver a série, mas estou a adorar!

    ResponderEliminar
  6. acho que a série é uma seca: ao quarto episódio já eu queria matar a hannah :)

    http://allaboutlittleladybug.blogs.sapo.pt/13-reasons-why-1067863

    ResponderEliminar
  7. Este foi o melhor post que li sobre a série! 13rw dá tanto para pensar. tal como tu, também fiquei a chorar,a pensar na vida, na hannah, em eu ter sido uma hannah e nos meus atos para com os outros. é uma série arrebatadora mesmo!

    ResponderEliminar

A resposta aos comentários é dada na própria caixa de comentários.

Não serão aprovados comentários de carácter ofensivo (para mim, para quem possa estar mencionado no texto ou para os meus seguidores e comentadores) e/ou que atentem contra a liberdade humana. Assim como não serão aprovados comentários de ódio puro.