QUERIDO, NÃO ENCONTRO CASA!

Lisbon
Como já devem saber, voltei a Lisboa. E voltar a Lisboa significou passar umas semanas à procura de casa. Lisboa tem preços ridículos, é certo, pelo que a procura foi sempre de uma casa a dividir com outras pessoas. O facto de o meu horário da faculdade ser nocturno e não ser algo diário teve algum peso na hora de escolher a zona. Na verdade, quase deixei que a zona me escolhesse a mim. Queria algo próximo do metro, para ser fácil chegar a qualquer lado e para não ter de andar muito quando chegasse das aulas. Os critérios eram simples: perto do metro, sem preços ridículos e sem posturas estranhas em relação a receber visitas em casa. Não parece nada de extraordinário, pois não? Bem, na prática tornou-se algo muito extraordinário. 

Confesso que quando tive de procurar casa das duas últimas vezes foi mais simples. Claro que a primeira experiência correu mal, mas a segunda foi pacífica, rápida e simples! Desta vez... bem, está certo que passaram dois anos desde que andei a passear por este mercado, mas... meu Deus! Isto parece a selva! Felizmente, encontrei um quarto decente no Lumiar, com todas as condições que me importavam. Mas foram três semanas de procura, muitos anúncios, muito riso e muitas conclusões.

Os preços estão cada vez mais absurdos.
Ainda procurei o anúncio em questão, para vos mostrar o quanto era absurdo, mas parece que foi apagado. Era assim: 300€ com despesas incluídas. Tudo certo, não? Não. O quarto era minúsculo e a cama estava quase em cima da secretária. Eu nem sei se a cadeira daria para chegar atrás o suficiente para uma pessoa se sentar. Trezentos euros, meus caros. Ridículo. Mas as pessoas não têm noção?

As pessoas colocam um anúncio e depois não se preocupam em apagá-lo quando o local fica ocupado.
Aconteceu-me contactar alguns senhorios que tinham anúncios activos em alguns sites e ter como resposta ah, mas o quarto já está ocupado. Então se está ocupado por que raio não desactivam o anúncio? Gostam de receber chamadas e e-mails?

Ou então não respondem a mensagens e a e-mails nem atendem chamadas.
Havia um quarto espectacular numa zona bastante boa, ali entre o Campo Grande e Alvalade, com boas acessibilidades e com um preço adequado. Telefonei à senhoria: não atendeu. Telefonei outra vez: não atendeu. Enviei uma mensagem: não respondeu. Enviei um e-mail: não respondeu. Porquê, senhores, porquê?

Se trouxer visitas tem de pagar mais cinco euros por cada noite que a pessoa passe na casa.
Telefonei a uma senhora que tinha dois quartos para alugar na zona do Saldanha. Não era a zona mais próxima da faculdade mas o preço até não estava mau. Quando telefonei perguntei algumas coisas que o anúncio não explicitava e fiz a pergunta mais banal de todas: há problema em receber visitas?* Resposta imediata: se trouxer visitas tem de pagar mais cinco euros por cada noite que a pessoa passe na casa... e no máximo só podem ser duas ou três noites seguidas. Está bem.

O senhorio que disse amanhã confirmo. E não confirmou.
Fui ver um quarto perto do estádio de Alvalade. O quarto era pequeno, mas adequado ao preço. Tinha a grande vantagem de ficar perto da faculdade e dar para ir a pé, além de ficar numa zona com um supermercado no fim da rua. O senhorio explicou-me no dia da visita que ainda não sabia se o quarto ia mesmo ficar vago. Ora, estava a mostrar-me um quarto que não sabia se ia ficar vago? Como assim? Explicou a situação e disse que até à manhã do dia seguinte me confirmava a situação, sem falta. Na manhã seguinte enviei-lhe uma mensagem. Respondeu à hora de almoço e disse que ainda não sabia e só podia confirmar ao fim da tarde. Entretanto eu fui ver outra casa. No dia seguinte disse-lhe que não ia ficar com o quarto. Não respondeu. Está bem.


*Faço sempre esta pergunta porque tive uma senhoria que me disse que receber visitas era permitido e depois eu tive visitas num fim-de-semana, sem incomodar ninguém, e a senhora decidiu voltar atrás com a palavra e impedir-me de receber quem quer que fosse em casa. É por isso que pergunto isto. Não é por achar que vou ter muitas visitas mas gosto de ter liberdade para convidar alguém para jantar em minha casa, de ficar na conversa até tarde e saber que quem está comigo pode ficar a dormir em minha casa, de saber que posso convidar a minha mãe para me ir visitar. 


8 Theories So Far

  1. Também ando a procura de casa, mas quero um t0 ou um t1 baratinhos. Mas também está mega difícil!

    ResponderEliminar
  2. boa sorte querida!
    Adorei o post!
    beijinhos
    http://eyeelement.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  3. É uma experiência pela qual ainda não passei, mas confesso que quando penso nisso não imagino um cenário fácil, precisamente pelos relatos de amigos. Contudo, há zonas e zonas. Boa sorte com este achado e que corra tudo bem :)

    ResponderEliminar
  4. Um dos motivos em afastar a ideia de estudar em Lisboa foi mesmo o preço das casas. Onde estou, fiquei na residência por isso não tive que passar por essa árdua tarefa

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também há residências em Lisboa :)

      Eliminar
  5. Ai tantos entraves Sofia... por isso é que os meus colegas optam todos pelos prédios perto da Universidade ou pelas residências. Que trapalhada. Nem poder receber visitas??? Que abuso.

    ResponderEliminar
  6. Vieste morar para o Lumiar? :D Eu moro lá, mesmo em frente à Quinta das Conchas, não sei se já conheces, mas se não devias ir lá dar uma volta, é tão bom! :)
    Estás a gostar?

    Eu quando era estudante passei por isso tudo também, não é pêra doce...

    www.joanofjuly.com

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, estou ao pé do Centro Comercial do Lumiar!
      Já conheço! Até há uns anos eu passava férias nesta zona! Mas tenho de lá voltar, principalmente agora que estou tão perto! :D

      Eliminar