#RRSP17: GIRL ONLINE

Book Review for the #RRSP17: Girl Online, by Zoe Sugg [2015]


Untitled Document  Ler em Português      Read in English


Não estava previsto mas, quando comecei a ler o Girl Online 3, tive uma espécie de amnésia e não me lembrava de quase nada dos dois livros anteriores. Depois, claro, achei que não fazia muito sentido escrever sobre o terceiro livro sem ter falado dos dois primeiros, por isso fui relê-los. Na realidade, eu escrevi sobre este livro quando o li, em 2015, e, por isso, foi interessante escrever esta crítica e depois ir comparar com a que tinha escrito aquando da primeira leitura.

Primeira constatação assim que começo a reler o livro: então mas a Penny não tinha 16 anos? Não, não tinha. A Penny é uma rapariga de 15 anos que vive em Brighton, no Reino Unido, e que é exageradamente desastrada. Além de todos os dramas normais de adolescente, a Penny tem um blog, o Girl Online. É um blog anónimo onde Penny vai contando as peripécias que lhe vão acontecendo e só o Elliot, o melhor amigo gay de Penny, conhece a verdadeira identidade da Girl Online.

Depois de cair em palco enquanto fotografava uma peça de teatro na escola, mostrando ao mundo as suas maravilhosas cuecas velhas com bonecos, um vídeo dessa queda é publicado no Facebook por Megan, que é suposto ser amiga da Penny, e Penny não consegue lidar com a vergonha. Aquilo de que precisa é afastar-se dali por uns tempos e eis que surge uma oportunidade incrível para o fazer: a mãe de Penny, que é dona de uma loja de decoração e organização de casamentos, é contratada para organizar um casamento em Nova Iorque durante as férias de Natal. Então, Penny, os pais e Elliot rumam à Big Apple. É lá que Penny conhece Noah, por quem se apaixona. O que ela não sabe é que Noah é, na realidade, um artista recém-contratado, cada vez mais conhecido, e que a sua amizade com Elliot está em crise.

Book Review for the #RRSP17: Girl Online, by Zoe Sugg [2015]
Ora, first things first: este é um romance super leve. A tradução torna-o ainda mais leve e um pouco mais infantil mas não se deixem enganar: é suposto a história ser assim. No entanto, sabendo que a Zoe teve alguma ajuda editorial a escrever este livro, talvez esperasse mais. É um livro bom para passar o tempo, lê-se rápido sem nos cansar.

Gostei mais de o ler na primeira vez do que na segunda, principalmente depois de ter lido os três livros e já ter uma opinião sobre o desenvolvimento da história. Mas o livro acaba por dar algum relevo a dois temas importantes: a forma como se lida com a ansiedade (neste campo, os livros seguintes são melhores) e no facto de quando publicas uma coisa online, fazes uma escolha. Esta frase é dita pela Penny e acaba por ser algo importante, no qual nem toda a gente pensa e que merece alguma reflexão.

Podem ler a primeira review do livro aqui.
Já conheciam? O que acham do livro?

Título Original: Girl Online
Título em Português: Miúda Online
Autor: Zoe Sugg
Editora: Topseller
Ano: 2015
Nota ASW: 7/10


Este livro faz parte do Re-Reading Season Project 2017. Podem descobrir mais sobre o projecto e aderir aqui. Podem acompanhar os livros que vou reler aqui ou na shelf que criei no GoodreadsSaibam o que a Lyne anda a reler aqui.





6 Theories So Far

  1. Ainda este fim de semana passei por ele e pensei "Vou esperar que alguém faça uma review recente dele e logo se vê"... não faz muito o meu tipo de livro, mas pareceu-me interessante por falar no mundo online. Se alguém à minha volta o tiver, leio. Se não houver alguém a possuí-lo, não creio que vá comprar...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Foi o único da saga que comprei... e foi porque estava com uma promoção fixe de leve 2 pague 1. Os outros li em inglês, na versão e-book.

      Eliminar
  2. Sou sincera: nunca tive curiosidade em ler os livros da Miúda Online e quando soube que era uma ghost story não consegui deixar de ficar um pouco desiludida...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quando o comecei a ler da primeira vez não sabia que era ghost story e a primeira coisa que pensei foi "bem, é o primeiro livro, a Zoella ainda tem de ganhar prática e tal". Depois, enquanto o lia, descobri que era ghost e a ideia com que fiquei foi que poderia ter sido muito melhor, menos "básico" e previsível, mas a forma de escrita está muito fiel à forma da Zoe escrever. Ainda vou escrever sobre os outros dois livros da saga, por isso depois podes ver o que acho da evolução da história :)

      Eliminar
  3. Parece super interessante!
    Beijinhos,
    BabyLú
    http://www.luciaffmoreira.blogspot.pt

    ResponderEliminar