7 REASONS WHY I STILL LOVE THE PERKS OF BEING A WALLFLOWER



Untitled Document  Ler em Português      Read in English [click on keep reading first]


Revi o The Perks of Being a Wallflower há uns dias, quando estive doente. Já vi o filme umas dez vezes, sem exagero! Quando o filme saiu, os meus dias no ensino secundário estavam a terminar e, por isso, não foi muito difícil conseguir identificar-me com a história. Também li o livro mas, sinceramente, acho que prefiro o filme. Eu sei: é um acontecimento único que só pode ser explicado pelo facto de adorar a Emma Watson (como não?), pelo papel do Ezra Miller ser para lá de espectacular e, claro, pela adaptação incrível que fizeram.

O livro funciona em género de diário pelo que adaptar algo assim não deve ser propriamente fácil mas fizeram-no tão bem, com um resultado tão bom, que só isso pode explicar o porquê de gostar tanto deste filme e de ser, sem sombra de dúvidas, um dos meus preferidos. Bem, na realidade há várias razões.

01 | A Banda Sonora
Perks of Being a Wallflower
Perks of Being a Wallflower
A Come On Eileen é uma das minhas músicas preferidas para dançar e ser feliz e a living room routine é das melhores cenas de todo o filme. Toda a banda sonora do filme é, aliás, incrível. Não preciso de relembrar que a banda sonora inclui The Smiths e David Bowie, pois não?
02 | O Patrick
Patrick below average
Can Charlie come out and play?
Adoro o Patrick, adoro, adoro, adoro! O papel do Ezra Miller tem duas características que adoro: o sentido de humor e descontracção de uma personagem que parece não ter muito que se lhe diga mas que, na realidade, é muito mais do que mostra. Adoro o Patrick, acho-o tão autêntico quanto uma personagem de ficção pode ser! Quando for grande, quero um Patrick destes como melhor amigo! 
03 | O Tempo que Demorei a Compreender Totalmente a frase We Accept the Love We Think We Deserve.
we accept the love we think we deserve
Talvez estejam aí a dizer mas, Sofia, a frase quer dizer xxx. Eu sei o que é que a frase quer dizer, percebi o significado no filme à primeira, mas na minha vida não a conseguia compreender. Não fazia sentido, não parecia ser real e adaptar-se. Até que, um dia, se fez luz e percebi como esta frase dizia muito mais sobre a minha vida do que aquilo que eu poderia querer admitir.
04 | O Factor Já Todos nos Sentimos Infinitos
We are infinite
Experimentem conduzir à noite, a ouvir a Heroes, com os vossos amigos. Okay, quando me aconteceu eu estava sozinha mas, porra!, a primeira coisa que me saiu foi I feel infinite. Claro que não precisava de ser um momento tão igual ao do filme. Já todos nos sentimentos infinitos. E é tão bom.

05 | A História do Charlie
Stop Crying
Nisto acho que o filme nos permite compreender melhor a história, com os flashbacks e as visões do Charlie, mas, de qualquer forma, tudo aquilo com que ele tem de lidar, no presente e no passado, é tão forte e tão importante.

06 | Porque o Secundário é uma Época Difícil e Ninguém se Devia Esquecer Disso
Oh, se eu soubesse o que sei hoje! O secundário é cruel, amigos, oh, se é! Não que a universidade melhore muito mas, pelo menos, é mais fácil uma pessoa estar sossegadinha da vida e ficar afastada dos dramas de sempre.

07 | Porque é uma Lição Enorme sobre Amor e Amizade.
Quais são as vossas coisas preferidas neste filme?





6 Theories So Far

  1. Li o livro, vi o filme e embora ache a história gira, não me prendeu assim tanto. Houve uma altura que toda a gente tinha a febre desta história (mais do filme que do livro) mas eu não consegui apanhá-la. Apreciei-a mas não a adorei, sabes? :)

    ResponderEliminar
  2. Quando vi este filme pela primeira vez, foi no âmbito da disciplina de Inglês e aqui me confesso: ao início não percebi a mensagem que a história transmitia, mas sabe-se lá porquê ou como, fui compreendendo melhor a lição. Desde então que nutro a vontade de comprar e ler o livro, para depois rever a adaptação!

    A Vida de Lyne

    ResponderEliminar
  3. Eu gosto TANTO deste filme! Com imensa pena minha, nunca li o livro, mas o filme é tão enternecedor: acho que seria esta a minha palavra para o descrever. Adoro a relação que os três têm, adoro o Patrick e a-do-ro a banda sonora! :)

    With love, Miss Melfe

    ResponderEliminar
  4. Eu vi o filme no 8º/9º ano e embora tenha percebido a mensagem principal e tenha gostado bastante, depois de ler esta publicação, sinto que estou numa altura ideal da minha vida para voltar a revê-lo (já estou a descarregá-lo!). Acho que vou entender e se calhar relacionar-me mais com o filme, portanto muito obrigada pela partilha Sofia!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oooooh, que bom! :D Depois conta-me como foi revê-lo!

      Eliminar
  5. Eu não estava preparada mentalmente para ver esse filme e então tenho estado a evitar o livro como se fosse a peste negra.

    Beijinhos,
    O meu reino da noite ~ facebook ~ bloglovin'

    ResponderEliminar

A resposta aos comentários é dada na própria caixa de comentários.

Não serão aprovados comentários de carácter ofensivo (para mim, para quem possa estar mencionado no texto ou para os meus seguidores e comentadores) e/ou que atentem contra a liberdade humana. Assim como não serão aprovados comentários de ódio puro.