A SOMBRA DO VENTO

Book Review: "A Sombra do Vento", de Carlos Ruíz Zafón
Finalmente! A Sombra do Vento era para ter sido o meu livro de Abril. E, de facto, comecei-o em Abril, mas veio a vida académica e meteu-se no meio. Com frequências, trabalhos, festas, fitas... o livro ficou esquecido, como os livros do Cemitério. Entretanto li outros livros pelo meio e acabei por devolver o exemplar tinha e comecei a ler do início no meu novo exemplar. Isto foi no final do Verão. Fui lendo com calma, até porque a narrativa começa assim, lenta.

O facto de ter demorado tanto a terminar este livro não influenciou, em nada, a forma como gostei de o ler. Dei-lhe, no Goodreads, 5 em 5 estrelas e acho que é uma avaliação mais do que justa. Num livro cheio de mistério, às vezes torna-se impossível manter uma narrativa coerente e interessante, mas Carlos Ruiz Záfon fá-lo de uma forma incrível e exemplar. Todo o livro, aliás, é escrito assim, de uma forma tão espectacular que é impossível não desejar ter um décimo do talento e da qualidade do autor.

A Sombra do Vento leva-nos até à magnífica cidade de Barcelona (onde quero tanto ir!) no ano de 1945. Daniel Sempere é levado pelo pai a um sítio muito especial: o Cemitério dos Livros Esquecidos. É lá que estão exemplares de milhares de livros e o objectivo é que a pessoa que lá vai escolha um único livro e tome conta dele para o resto da vida. A escolha de Daniel é um livro chamado "A Sombra do Vento", de um autor chamado Julían Carax. O exemplar é único no mundo e Daniel rapidamente se apercebe de que fez uma escolha, no mínimo, interessante. É que há pessoas dispostas a pagar muito dinheiro por um exemplar dos livros de Carax, visto que todos os outros desapareceram ou foram misteriosamente queimados.

Intrigado pelo mistério que a vida (e suposta morte) de Carax representa, Daniel dá por si numa busca incessante pelo destino de Carax. E, a certo ponto, as vidas de ambos parece que se cruzam e Julían Carax passa a ser uma parte tão fundamental na vida de Daniel que se torna impossível adivinhar um resultado. As primeiras cem, cento e cinquenta páginas são mais lentas mas, à medida que a narrativa ganha forma e se aproxima do meio do livro, a leitura começa a tornar-se urgente e só queremos perceber o que raio se passa, quem era Carax, se é que ele existiu mesmo e quem é o misterioso Laín Coubert, que quer destruir os livros de Carax a toda a força.

Este foi, sem dúvida, um dos melhores livros que já li, tão surpreendente quanto misterioso! Todo o mistério à volta da vida de Julían Carax está incrivelmente escrito e o capítulo que une todas as pontas soltas é realmente bom, porque tudo faz sentido e, principalmente, porque se descobre algo pelo qual eu estava a torcer desde o início! Aliás, a partir da página 300 (mais coisa, menos coisa) é um dilema pegado entre o quero acabar isto rápido para saber o que acontece e o ai, não quero acabar este livro tão bom!


3 Theories So Far

  1. Eu gostei muito deste livro e já tenho aqui o segundo da saga: O jogo do anjo. Tenho de lhe pegar! :P

    Let me Believe

    ResponderEliminar
  2. Fiquei muito curiosa com esse livro! A narrativa parece ser muito interessante :).
    Beijinhos,
    Cherry
    Blog: Life of Cherry

    ResponderEliminar
  3. Yeaaah!! Quando soube que estavas a ler este livro, bem sabes o quão entusiasmada fiquei para saber a tua opinião! E quando me disseste que o tinhas terminado, fiz a festa!!
    Este foi, como já te disse, o melhor livro que li em 2016 e estou super curiosa para ler outras obras do Zafón e poder comprovar se o seu talento foi apenas poderoso n'"A sombra do vento", ou se é algo que nos vais fascinando de livro para livro!

    A Vida de Lyne

    ResponderEliminar

A resposta aos comentários é dada na própria caixa de comentários.

Não serão aprovados comentários de carácter ofensivo (para mim, para quem possa estar mencionado no texto ou para os meus seguidores e comentadores) e/ou que atentem contra a liberdade humana. Assim como não serão aprovados comentários de ódio puro.