21 MOMENTOS, 21 FOTOGRAFIAS

21 MOMENTOS, 21 FOTOGRAFIAS
É muito redutor resumir o meu último ano em 21 fotografias, porque tirei umas largas centenas, mas faz sentido para mim, neste conjunto de publicações de aniversário, mostrar-vos, desta forma, os 21 momentos que marcaram os meus 21 anos, com as imagens que os simbolizam e que podem dizer mais do que todas as palavras do mundo. Entre os smartphones e a minha bridge, fotografar é cada vez mais natural para mim. Ao longo dos meus 22 espero continuar a captar momentos assim. E espero aproximar-me mais (muito mais) da minha câmara fotográfica de sonho.

Enquanto reunia estas 21 fotografias, apercebi-me de que este ano vi mais concertos do que alguma vez tinha visto e, acima de tudo, tive pessoas incríveis comigo, com momentos impagáveis e indescritíveis. Não foram doze meses fáceis, mas houve momentos bons, que fizeram valer a pena e que só fazia sentido viver assim. Além das 21 fotografias que correspondem a 21 momentos, a fotografia acima é uma das minhas preferidas destes 21 anos.

Spoiler alert: em Dezembro mostro-vos mais fotografias que gostei especialmente de captar em 2016 e algumas delas, curiosamente, confundem-se com momentos de que vos vou falar aqui.
O concerto dos D.A.M.A no Campo Pequeno
D.A.M.A, Campo Pequeno, Novembro 2014
Uma sexta-feira de sol passada sentada no chão ao redor do Campo Pequeno, selfies com o Kasha e o Salvador (e vergonhas em frente ao Salvador, omg), um concerto especial, onde acabei por conhecer duas raparigas na fila. Mostrei fotos do concerto e contei o que aconteceu aqui, mas é impossível não recordar este concerto com carinho. Foi o primeiro que vi naquele recinto e foi um concerto especial para os rapazes, que já são um bocadinho parte da família. Esta foi, se quiserem, a minha prenda de anos atrasada para mim mesma. Mal eu sabia que, uns dias depois, ia ter uma surpresa dos dame, boy!

O fim-de-semana na Madeira
Funchal, Madeira
Aconteceu pouco mais de duas semanas depois de ter completado 21 anos e foi marcante: foi a primeira vez que andei de avião e, consequentemente, a primeira vez que visitei a Madeira. Mas, mais do que disso, fui com os D.A.M.A, pude conversar com eles, conhecê-los de uma forma diferente e acompanhar o backstage de uma forma que me cativou. O Funchal é um local lindo e demasiado maravilhoso para se ver num fim-de-semana. Se formos ser concretos, eu não vi praticamente nada do Funchal. Mas quero muito voltar lá um dia e ver tudo, voltar a ver aquele verde por todo o lado (infelizmente ficou negro no Verão), ver o oceano por todo o lado e sentir que o mundo é infinito. A Madeira é linda, incrível mesmo! Continuamos em Portugal mas é como se mudássemos de país. Mais uma vez: muito obrigada, RFM e D.A.M.A, por me terem dado uma oportunidade tão espectacular! Há mais fotografias, igualmente lindas, do Funchal aqui.

As conversas de madrugada
21 MOMENTOS, 21 FOTOGRAFIAS
De todas as fotografias, esta foi a mais difícil de escolher porque não há, de facto, uma só fotografia que represente este tópico e a maior parte das fotografias, convenhamos, vêm de snaps logo foi difícil escolher uma que pudesse partilhar. Além disso, no meio desta cronologia, poderia falar disto em qualquer um dos pontos mas escolhi este momento em particular, em Dezembro, numa madrugada em que dei por mim a desesperar a estudar para uma frequência (funny story: a frequência correu muito mal, saí de lá com a certeza de que ia a recurso porque ia chumbar... tive 14 no final) e houve uma pessoa especial a fazer-me companhia, enquanto trocávamos snaps até altas horas da madrugada. Esta fotografia vem de uma dessas trocas de snaps, em pleno Inverno, com o pijama mais quentinho e fofo à face da terra! Esta troca de snaps não foi o início de algo, porque já começara há muito tempo, mas foi um turning point. Aquelas trocas de snaps durante o estudo, a meio da madrugada, as conversas a horas estranhas... o meu último ano teve muitos momentos destes, que guardarei para sempre comigo. Escrevi muito pouco sobre isso e, quando o fiz, usei metáforas. Mas a verdade é que estas madrugadas foram grandes pontos altos no meio de muitos pontos baixos. E tenho muitas saudades dele(s).

O concerto dos D.A.M.A no Terreiro do Paço
D.A.M.A, Terreiro do Paço, Janeiro 2016
Sim, sim, mais um concerto dos D.A.M.A, este ainda mais especial. Aliás, este concerto vai directamente para o top3 dos melhores concertos que já vi deles. Imaginem o Terreiro do Paço, em Lisboa, completamente cheio de pessoas, totalmente lotado. Milhares e milhares de pessoas. Agora imaginem esses milhares de pessoas a cantar uma música a cappella. Foi totalmente de arrepiar, foi mágico! Curiosamente, a noite terminou comigo de pé torcido e ligado, com dores que duraram uma semana, mas foi incrível! Houve reencontro com as pessoas que conheci no Campo Pequeno, pude dizer olá ao pessoal quase todo depois do soundcheck e, no final, pude conversar um bocadinho com um Salvador e com o Cristovinho, com direito a abracinhos daqueles que enchem o coração de qualquer pessoa! Vale a pena ter estes rapazes na minha vida. Muito.

O regresso ao Oceanário de Lisboa
Oceanário de Lisboa
Não ia ao Oceanário há anos e a vontade de o fazer era muita. O início de Janeiro foi a altura ideal para regressar. Já mal me recordava da quantidade de peixinhos que há por lá e foi tão giro rever tudo e, claro, encontrar o Nemo e a Dory (shiiiiiuuuuu!)! Como é óbvio, a ida ao Oceanário também foi tema aqui no blog e é um daqueles sítios que toda a gente devia visitar uma vez na vida, em Lisboa. É muito bom estar lá dentro, rodeada de animais (excepto, claro, na parte dos anfíbios, à qual eu fugi porque... pronto... ewww), sem termos de nos preocupar se está sol ou chuva, se há problemas ou não. Senti-me criança outra vez e foi óptimo!

A ida ao Castelo de São Jorge
Castelo de São Jorge, Lisboa
Queria ir ao Castelo há muito tempo mas nunca tinha surgido a oportunidade ou o momento. De facto, estava a perder muito! A vista é para lá de incrível e o castelo é feito de uma pedra diferente daquela que é usada nos castelos a que já fui e achei esse pormenor interessante (sim, fui para lá reparar em pedras), porque mostra bem as diferentes condições de cada local do país. Provavelmente, se não se pagasse, era menina para ter ido muitas vezes ler e escrever para o miradouro do castelo. Com aquela vista liiiiiiiiiinda, de certeza que o resultado ia ser maravilhoso! Para verem mais sobre o Castelo de São Jorge, este é o post ideal.

A apresentação do Game Over
CASUAR:, Clube Lusitano, Lisboa, Abril 2016
Conheci o Rui na viagem à Madeira, visto que ele colabora com os D.A.M.A. O Rui foi sentado ao nosso lado, no avião, e, embora cansado, passou a viagem toda a falar connosco, mesmo quando viu que estavam ali duas miúdas nervosas por ir andar de avião (eu nunca tinha andado!). Na altura não fazia ideia mas depois fui descobrir o trabalho a solo do Rui e, meus amigos, o projecto CASUAR: é das melhores coisas que anda pela música portuguesa! Gostei tanto das músicas dele que, quando soube que ele apresentar o primeiro álbum a solo, quis logo marcar presença! Foi especial porque me senti quase como intrusa no meio de um grupo de amigos, porque vi um excelente músico mostrar um excelente trabalho, porque foi uma das reportagens que mais gostei de fazer e foi o último artigo que fiz para a secção de Música da Magazine. Gosto muito do Rui, como músico e como pessoa. Sempre que tive o privilégio de o ver tocar ao vivo ou de falar com ele, ele foi sempre de uma humildade e de uma simpatia imensas. Vale a pena conhecer pessoas assim. Falei um bocadinho do Game Over neste post.

A Dama
Dama
Foram 14 anos de Dama, mas foi muito mais do que isso. Este ano temi pela minha menina, chorei por ela e quis ficar todos os dias com ela, dar-lhe muitos miminhos e inventar uma forma de ela poder vir a ser eterna. A Dama é presença assídua no meu Instagram (#TeamDamaDaSofia) mas, acima de tudo, é presença assídua na minha vida. É a minha menina, de quem o amor vem na forma mais pura e peluda. Este ano já passou por muito, coitadinha, mas tem lutado sempre e faz-me sentir orgulhosa da minha pequenina. Os dias dela são todos e vão sempre ser.

As Fitas
Fitas amarelas
Acho que todos os que já foram finalistas e tiveram fitas conseguem perceber a importância destes pedaços de tecido escrito. Não entreguei muitas fitas; entreguei quarenta e não foram todas para a capa, porque há fitas que não voltaram. Mas, de todas as que estão na minha capa, tenho grandes pedaços de amor ali, incluindo uma fitinha exclusiva para a minha bisavó (colei uma foto dela, visto que ela já faleceu) e outra para a Dama (também com uma foto). Depois, claro, havia as fitas das pessoas mais especiais da minha vida, sempre com palavras queridas e, muitas vezes, com lágrimas à mistura (como não?). Desde a fita da mami, à da Bárbara ou à da Inês, a fita dos meus rapazes (esta da imagem), a do tal rapaz, as das minhas mamãs escsianas (promovi duas pessoas a mamãs escsianas e elas nem sabem!), ao afilhado-que-podia-ter-sido, tenho ali palavras das pessoas que tiveram alguma importância numa fase importante da minha vida. Nem acredito que passou tão depressa!

O concerto dos Muse
Muse, Meo Arena, Lisboa, Maio 2016
Confirma-se: foi o ano em que fui a mais concertos (e ainda há mais um ou dois para ver) e este era um dos concertos que esperava há muito! Comprei o bilhete umas horas antes de esgotarem, no final de 2015, e já queria ver os Muse há muito tempo. O concerto valeu completamente a pena, foi incrível, emocionante e... visto da primeira fila!!!! Sou demasiado feliz em concertos, nem dá para explicar, e este foi um dos concertos da minha vida! Ai, o Matt ali tão perto!!!

A Semana Académica
Semana Académica de Lisboa 2016
Sim, eu sei que a fotografia está desfocada mas é a foto que representa o fim das noites mágicas, já ao início da manhã. Eram seis da manhã, para ser mais precisa. Foram duas noites (que acabaram realmente ao nascer do sol) na melhor companhia, com a melhor sangria. A SAL teve das histórias que não podem ser contadas, mas que merecem ser relembradas, principalmente a parte de eu ter comprado um bilhete para ir ver o Richie Campbell e só ter visto duas músicas do concerto... oops. Podia colocar aqui qualquer uma das milhentas selfies que tirei com os meus amigos, também. Mas dançar até de manhã, numa das noites mais espectaculares de sempre, com os meus amigos... esta fotografia representa isso tudo. E juro que lidava bem com os dois, três dias de ressaca outra vez se pudesse repetir estas noites.

O Rock in Rio
Rock in Rio Lisboa 2016
O primeiro festival a que fui foi o Rock in Rio, em 2012, quando vieram cá os meus queridos Linkin Park. Este ano regressei à Bela Vista para ver os D.A.M.A (agaaaaaaaaaaaain), a rainha Ivete Sangalo e os Maroon 5! O dia 28 de Maio foi espectacular. Apanhei sol e chuva e nunca a música soou tão bem! Porque com chuva soa ainda melhor! O Rock in Rio 2016 foi um dos melhores dias deste ano, um dia feliz, como só a música poderia fazer. Valeu pela vergonha de desatar a correr para abraçar o Johnny, pela chuva durante a Balada do Desajeitado, pelas dores de pés causadas por toda a dança durante o concerto da Ivete, pela magia da Lost Stars, por ter conhecido a Iryna, do Expresso, por ter partilhado aquele dia com pessoas de quem gosto muito.

A minha nossa ESCS
ESCS
A minha casa durante três anos, a casa onde fiz amigos para a vida e onde cresci como nunca. É difícil sair de casa e ainda mais difícil é sair de casa e saber que aquele é o adeus a muitas pessoas. Aprendi muito aqui, mais fora do que dentro de aulas, e vi os dias passar com o único desejo de poder viver este último ano todo outra vez. As despedidas foram fortes e nem sempre soube como lidar com tudo, mas posso dizer-vos que a minha vida só teria sentido se eu tivesse passado por ali... mesmo com a vista horrível sobre o estádio da Luz. A ESCS foi a minha segunda casa, às vezes a primeira, até. E um dia hei-de voltar a casa.

A Bênção
Bênção de Finalistas
Provas de que, até ao Verão, eu usava muito o Snapchat: esta foto também vem de um snap, no dia da Bênção, de óculos escuros para não se ver a cara de quem tinha acabado de chorar a vida toda e mais um bocadinho dentro da igreja (e não chorei metade do que achava que ia chorar). Depois da cerimónia escrevi um dos textos mais lidos de sempre cá no burgo e, aí sim, chorei tudo o que não consegui na igreja. Não me senti abençoada depois da Bênção, mas sinto que foi uma Bênção ter chegado ali, à ESCS, àquelas pessoas. Obrigada!

O evento Passa a Outro e Não ao Mesmo
Vasco Palmeirim, no evento "Passa a outro e não ao mesmo"
Graças a uma parceria com uma editora discográfica, pude ir, pela primeira vez, a um evento enquanto blogger. Não há maior motivo de orgulho para mim do que ver o meu trabalho ser reconhecido desta forma e o evento de apresentação do álbum Passa a Outro e Não Ao Mesmo, da Rádio Comercial, foi um daqueles momentos em que realmente pude comprovar que não escrevo para paredes. Conhecer o Vasco Palmeirim foi um dos pontos altos do ano, porque gosto imenso dele e do trabalho dele, e é incrível saber que o meu blog me proporcionou isso.

O Euro 2016
Euro 2016
É impossível falar de 2016 sem mencionar o grande feito de sermos Campeões da Europa! O meu ano teve mais de ténis do que de futebol mas o Euro é sagrado e vencê-lo era algo pelo qual esperava desde 2004. Chegou, foi incrível e incluiu festejos, naturalmente. Acho que este será um daqueles momentos que vai marcar os portugueses durante muito tempo, daqueles que, daqui a uns anos, farão parte das perguntas onde estavas quando... Eu estava em casa da minha família que vive na Alemanha, com as minhas primas a verem desenhos animados ao meu lado. E vocês? Onde estavam quando Portugal foi campeão da Europa?

O concerto dos Snarky Puppy
Snarky Puppy, Paradise Garage, Julho 2016
Obrigada, Johnny! Obrigada, obrigada, obrigada! Se não fosse ele não conhecia esta grupo de músicos incríveis! A verdade é que me apaixonei por Snarky logo da primeira vez que ouvi... e acho impossível alguém conseguir ouvi-los sem se apaixonar! O concerto deles no Paradise Garage, em Lisboa, foi um dos melhores da minha vida! Foi incrível estar numa sala mítica a ver artistas incríveis, rodeada de outros músicos também talentosos. Nunca pensei gostar tanto de jazz!

O concerto do Filipe Pinto
Filipe Pinto
FINALMENTE!!!! Esperei por este momento durante mais de seis anos! Sim, o meu eu adolescente explodiu de felicidade ao poder conhecer (finalmente!!!) o Filipe Pinto. Além de ter gostado muito de o ouvir ao vivo, tenho de dizer que ele é tão simpático e acessível quanto eu pensava que ele seria! Depois de me cumprimentar, perguntou-me o que é que eu fazia da vida e, quando lhe disse que era recém-licenciada em jornalismo, tivemos uma curta conversa sobre planos para o futuro e como não podia deixar de lutar pelo que queria. Uma pessoa cinco estrelas, sem dúvida!

A casa nova (também conhecida por #CostaLimaPlace no Instagram)
new home
Mudámos de casa e foi o melhor que podíamos ter feito desde... sempre. Temos finalmente o nosso cantinho, a nossa vida e a nossa calma. Temos os nossos quartos, os nossos sofás, as nossas mantinhas. Foi um pequeno passo para seguirmos em frente num caminho melhor. E estamos bem aqui.

A saída de Lisboa
Chiado, Lisboa
Não foi um momento bom nem fácil, mas foi necessário. Deixar Lisboa custou-me muito mais do que alguém poderá imaginar. Na realidade, ainda me custa, mas sei que voltaremos a ter-nos. E, na verdade, hoje sei que, neste momento, só faz sentido estar aqui, porque precisam mais de mim aqui, porque preciso mais de mim aqui. Espero voltar, até porque Lisboa tem o meu coração.

Os D.A.M.A no Meo Arena
D.A.M.A, MEO Arena, Outubro 2016
Não podia terminar de outra forma, pois não? Afinal, os meus rapazes foram tocar ao MEO ARENA!!!! Eles estiveram lá quando eu completei 20 anos (melhor forma de passar um aniversário, digo-vos já) e temo-nos visto crescer mutuamente. Gosto demasiado destes rapazes (e dos outros que não estão aqui) e é um orgulho imenso começar e terminar esta publicação com pessoas de quem tanto gosto e que, até hoje, nunca me falharam. Vamos ver o que nos reserva o próximo ano, não é? E obrigada por tudo!


7 Theories So Far

  1. Que seleção de momentos tão maravilhosa! Mesmo as fotografias que estão menos bem em termos estéticos e técnicos nos transitem tanto... e isso é o mais importante. Que os 22 te tragam tudo o que há de bom, que bem mereces :)

    ResponderEliminar
  2. Belas fotos e belos momentos :D

    ResponderEliminar
  3. Bem, que selecção maravilhosa :D belos momentos!
    let's do nothing today

    ResponderEliminar
  4. Que momentos tão bons!! Apesar daquilo que estás a passar agora, desejo de coração que saias vencedora dessa dor que te anda a acompanhar e que, aos 22, vivas momentos ainda mais incríveis! És um ser humano espetacular, super inspirador e que merece todas as coisas boas que a vida tem para te dar!
    Posto isto, é continuares a lutar por uma Sofia melhor e mais feliz!
    Beijinhos!

    A Vida de Lyne

    ResponderEliminar
  5. admito que fui eu que vi todas as publicações que tinhas sobre os DAMA agora, e comentei. Porque este amor que tens por eles é incrivel!
    Gostei da selecção dos momentos! Adoro o blog e aquilo que partilhas nele, continua com o excelente trabalho que tens feito.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ooooh, muito obrigada! Fiquei mesmo feliz com o teu comentário :)

      Eliminar