O CAOS

Estação do Oriente, Lisboa
Não me sentava a escrever para o blog há uma semana. Este mês, aliás, tem sido pobre em publicações, embora todas, à excepção da última, sejam publicações grandes e trabalhosas. Posso não escrever mas não descuro o trabalho de backstage: aponto ideias para escrever, tiro fotografias para ter o meu próprio stock, vou organizando o conteúdo por aqui e tudo isso. Recentemente, por exemplo, criei de raiz uma página inteiramente dedicada às categorias do blog. Fazia sentido para mim ter uma navbar mais clean, com menos coisas, e ter um sítio onde pudessem ver os temas principais do blog e aceder aos mesmos. Foram duas tardes passadas a escolher e editar fotografias e a certificar-me de que os códigos ficavam certinhos. Mas, ao mesmo tempo, não sabia o que vir aqui escrever.

Na realidade, tenho escrito imenso na última semana. Aliás, este mês já escrevi onze artigos totalmente relacionados com os Jogos Olímpicos para o Ardinas24. Sim, é excelente conseguir fazer trabalhos de jornalista enquanto não arranjo um emprego mas, lá está, não estava a escrever aqui. Foi então que, na terça-feira, enquanto via alguns snaps, algo que a Inês, do Bobby Pins, disse fez sentido para mim.

Noutras alturas, eu não teria problemas em escrever no meu blog. Estivesse numa fase boa ou numa fase má, tudo o que desse texto viria parar ao blog. Mas agora já não é assim, já não sou assim. Há cada vez mais pessoas que decidem partilhar aquilo que de negativo se vai passando nas suas vidas como forma de motivação ou algo do género mas, sinceramente, acho que estou numa fase da vida em que não faz sentido partilhar assim tanto — e foi isso que a Inês me fez perceber. 

De facto, estar à procura do primeiro emprego, a lidar com o desemprego e com tudo o que isso acarreta, é algo único, intenso e desesperante. Mas não há muito que eu possa partilhar sobre isso que não tenha já dito. Tal como as dores de coração irão dar textos magníficos daqui a uns anos, quando não passarem de memórias distantes. Acho que é por isso que não tenho escrito. Tenho ficado a ver o caos enquanto arrumo o quarto que devo deixar em breve, seja lá quando for esse breve. Acho que às vezes também faz falta ficarmos sentados a ver o que acontece à nossa volta, a absorver energias.


3 Theories So Far

  1. E por vezes, faz bem não remexer na ferida. Partilha o que te fizer bem ao coração :)

    Jiji

    ResponderEliminar
  2. Independentemente de escreveres aqui, ou no Ardinas24 ou nas folhas soltas, o importante é que o faças com o coração. Quem gosta daquilo que escreves, ficará sentado à tua espera!!
    E também faz muito bem descansar um pouco e dedicar o tempo para outras coisas!

    A Vida de Lyne

    ResponderEliminar

A resposta aos comentários é dada na própria caixa de comentários.

Não serão aprovados comentários de carácter ofensivo (para mim, para quem possa estar mencionado no texto ou para os meus seguidores e comentadores) e/ou que atentem contra a liberdade humana. Assim como não serão aprovados comentários de ódio puro.