PESSOAS

Lisbon
A nossa vida é feita de pessoas. Umas que nos prometem coisas e outras que nos fazem coisas. Até aqui, nada novo. Há aquelas pessoas que nos prometem mundos e fundos, que prometem que vão ficar sempre, que prometem ser nossos amigos em todas as ocasiões. E depois há aquelas que não nos fazem promessas, que não prometem ficar connosco, que não prometem uma única coisa... e acabam a cumprir as promessas dos outros, sem terem prometido o que quer que fosse. Deixei de usar o termo "melhor" quando vem associado a "amigo (a)".

Estas semanas têm sido difíceis, emocionalmente falando. Muito difíceis. Acho que já se percebeu que eu odeio despedidas e que não sei lidar com estas. Não saber quem fica ou não na minha vida é uma incerteza com a qual não estou a saber lidar. Mas tenho a certeza de quem já saiu da minha vida. E, no meio disto tudo, tenho-me agarrado a três pessoas, com tudo o que tenho.

Agarro-me à pessoa que vem a correr atrás de mim quando me vê sair de uma sala na qual tinha acabado de entrar, que me agarra, que me ouve no meio de uma crise de ansiedade, que me obriga a respirar, que me é sincera como nunca, que me diz que vai (porque vai mesmo) aos sítios onde sabe que eu quero ir.

Agarro-me à pessoa que, no mesmo dia, perante outro início de crise de ansiedade me diz que posso falar, que me faz rir quando eu estou a chorar e com a respiração descontrolada, que fica a falar comigo até de madrugada, que me acalma o coração, que me diz "não sei" quando lhe pergunto se vai ficar, que não promete nada mas faz aquilo que outros prometeram.

Agarro-me à pessoa que percebe tudo o que estou a sentir, que sabe o quanto me custa, que esteve comigo durante todas as épocas críticas sem recuar, que partilha comigo os dramas, que sabe que a qualquer hora eu atendo qualquer chamada.

Não sei quem vai ficar. Há quem me diga que as pessoas vão e vêm. E eu sei isso. Mas eu sei quem quero que fique e sei que vou fazer por essas pessoas ficarem. Tenho uma semana para lhes dar abracinhos e mostrar que as amo com todo o coração. Porque elas nunca prometeram ficar e estar... mas estão e eu quero que fiquem.


1 Theory So Far

  1. As despedidas são difíceis, principalmente quando trazem uma boa dose de incertezas atrás... Nada na vida é certo nem os amigos, e amigos é uma palavra cada vez mais banal "melhores amigos", então, é uma grande ilusão... eu cada vez prezo (ou tento prezar) mais pela cumplicidade, e não rotular as pessoas como amigos, as pessoas são apenas pessoas, que vão e vêm e com quem se ganha e perde cumplicidade...
    Aproveita bem esta semana para estares com quem, neste momento, queres mesmo que esteja presente

    ResponderEliminar

A resposta aos comentários é dada na própria caixa de comentários.

Não serão aprovados comentários de carácter ofensivo (para mim, para quem possa estar mencionado no texto ou para os meus seguidores e comentadores) e/ou que atentem contra a liberdade humana. Assim como não serão aprovados comentários de ódio puro.