SOFIA VAI AO SUPERMERCADO

Com um título destes, qual livro da colecção da Anita/Martine, acho que conseguem concluir que fui ao supermercado. Tudo começou comigo a pegar num cesto à entrada. Como contei aqui, odeio andar com cestos mas eram demasiadas coisas para levar na mão e eram poucas para levar um carrinho. Depois das compras, enquanto esperava que os vidros do carro desembaciassem, fiz uns snaps (se quiserem seguir digam-me que eu dou-vos o user) e, de repente, dei por mim a pensar: ora, isto ficava mesmo giro era no blog, para os meus seguidores lindos verem como é que uma ida ao supermercado é muito mais simples em Trancoso do que em Lisboa. É isso: eu prefiro ir ao supermercado em Trancoso a ir em Lisboa. Porquê? Bem...

Uma ida em Trancoso = duas (ou mais idas) em Lisboa
Eu sei, parece estranho mas para mim só resulta assim. Em Lisboa vivo a 300m e a 500m dos supermercados onde costumo ir. É pertinho e isso é muito bom. Point to Lisbon! Mas (há sempre um mas) não tenho carro. E não ter carro muda tudo.

Enquanto numa única ida ao supermercado cá eu consigo comprar tudo aquilo de que preciso de uma vez, meter tudo no carrinho, levar para o carro, chegar a casa, estacionar ao pé de casa e levar para casa... bem, em Lisboa ir ao supermercado é muito chato. Eu explico: se preciso de poucas coisas é uma maravilha, mas se preciso de comprar coisas como embalagens de leite, detergentes de roupa ou detergentes para o chão, e mais alguma coisa que pode ir desde fruta a cenouras ou a outra coisa do género... uiiiiii. É uma chatice! Não consigo levar tudo sozinha, mesmo a 300m, logo tenho de dividir as idas às compras em duas vezes ou três porque só assim consigo levar tudo para casa sem fazer uma paragem a cada 10 metros, sem praguejar impropérios, sem amaldiçoar o facto de não carro em Lisboa e sem desejar não precisar de nenhum destes produtos em casa.

Tento sempre ir comprando as coisas aos poucos mas sempre que a minha lista de compras inclui artigos pesados eu começo logo a ter vontade de deixar de beber leite, de deixar de limpar a casa, de tudo. Maior problema disto tudo, quando regressar à capital na próxima semana preciso de comprar leite, detergente para o chão e mais umas coisas que não posso levar daqui. Bem, algo me diz que vou fazer exercícios fixes de musculação. 

Isto não aconteceria em Trancoso porque o meu carro está cá e podia levar tudo lá e não precisava de tentar manter-me positiva comigo a dizer: vai, Sofs, está quase, mais 200m, mais 100m, 50m... Aaaah, a falta que um carro faz! Ou, vá... um namorado para ajudar nas compras.


6 Theories So Far

  1. Uma boa opção é dividires as compras não só por dois ou três sacos, mas também por uma mochila. Quando fores ao supermercado pelas uma mochila sem nada e depois é só meteres as coisas mais pesadas lá para dentro, enquanto os sacos ficam livres para as coisinhas mais pequenas e leves. Eu sei, também é uma chatice ter de andar com uma mochila pesada às costas, mas sempre dá uma ajuda :b

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu antes levava uma mochila, é verdade, mas o grande problema é que a minha lista de compras costuma ser feita no caminho entre casa e a faculdade e vou ao supermercado antes de chegar a casa, para poupar tempo, logo não dava jeito nenhum andar com uma mochila :)

      Eliminar
  2. Tens que arranjar uma daquelas sacolas com rodinhas que as velhas usam xD Uma pessoa goza com essas coisas, mas olha que deve dar um jeitaço xD tipo isto http://image.made-in-china.com/2f0j10AvtECLzHJnuQ/Shopping-Trolley-Bag-with-Colo.jpg
    senão começas a levar uma mala de viagem com rodas, também deve funcionar xD

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fiquei a rir imenso só de me imaginar com uma coisa dessas ahahahahah

      Eliminar
    2. parti-me a rir com o que a Emma disse (criei uma imagem na minha cabeça de mim a vir das compras com malas de viagem xD) mas olha que ela tem razão :D

      Eliminar
    3. É uma imagem mental linda ahahahahah Eu ainda agora me estou a rir :D

      Eliminar

A resposta aos comentários é dada na própria caixa de comentários.

Não serão aprovados comentários de carácter ofensivo (para mim, para quem possa estar mencionado no texto ou para os meus seguidores e comentadores) e/ou que atentem contra a liberdade humana. Assim como não serão aprovados comentários de ódio puro.