365 DIAS? A SÉRIO?

Everything that changed in 365 days.
2015 foi desafiante, foi apaixonante, foi transformador, foi... 

Comecei este ano a ver How I Met Your Mother, na cama, sozinha. Comecei bem mas rapidamente o ano ficou muito mal. Desmotivei-me, reprovei a três disciplinas e percebi que precisava de meter a cabeça no sítio. Fiz terapia de choque comigo mesma: ou recuperas a motivação ou mais vale desistires já... e tu não és de desistir. Questionei se valia a pena, questionei a minha motivação e os meus objectivos, questionei toda a minha vida. Resultou. Não foi fácil encontrar o foco e isso notou-se na minha vida pessoal e no meu blog da altura. As crises de identidade do Escrevi-te um Blog ao longo do primeiro semestre de 2015 vieram todas de crises de motivação e foco da minha parte. Fiz o que tinha de fazer: três recursos. Um chumbado, dois passados. Com muitas lágrimas de frustração e muitos nervos à mistura.

Decidi que este ano não podia continuar a viver naquela espiral negativa em que, por vezes, caía. Tentei tornar-me corredora mas, de facto, corrida não é para mim. Descobri o yoga e apaixonei-me. Voltei a sentir-me bem comigo mesma, como não me sentia há tanto, tanto tempo. Nunca usei tanto batom como este ano e torna-se cada vez mais difícil dispensá-lo. Aprendi a gostar de mim, mais do que gostar dos outros. Encontrei paz de espírito e outras coisas. Tornei-me melhor pessoa. Gosto mais de mim agora.

2015 curou, por fim, o meu coração partido e deu-me um coração maior, cheio de amor para dar. Nem tudo o que perdemos é um perda e a prova disso foi o ter deixado que uma pessoa que tinha sido tudo para mim saísse, por fim, da minha vida. O melhor disto foi que, quando menos esperava, depois de ter fechado esta porta, se abriram muitas outras portas e o inevitável aconteceu. Apaixonei-me sem querer, se é que isto é paixão. Recebi um daqueles beijos, à filmeque nos deixam presos àquele momento por muiiiiiiito tempo. Não sei o que vai resultar disto mas, pela primeira vez, sei que estou de corpo e alma no presente, sem qualquer fantasma do passado a fazer-me recuar.

Em 2015 não escrevi nenhum livro, nem me forcei a fazê-lo, mas li 54 livros. Conheci duas seguidoras do blog. Os D.A.M.A juntaram-me à Sara e à Daniela, que se tornaram muito mais do que minhas amigas, e tornaram-se parte da família depois de passar um fim-de-semana com eles (e de andar de avião pela primeira vez, woohoo!). Deles guardo muito mais do que os três concertos a que assisti este ano. São das melhores pessoas que já conheci e não podia ter mais orgulho neles (e não estou só a falar dos três rapazes que cantam).

Além deles, tive grandes pessoas comigo este ano, mesmo a milhares de quilómetros: o Johnny (que vocês conhecem como Jota) tornou-se num dos meus melhores amigos blogosféricos e provou-me que os blogs nos dão muitas coisas boas. Tive também as minhas girls (as Catarinas e a Inês), sempre a aturarem a minha parvoíce, assim como as minhas outras girls: a Bárbara e a outra Inês (que a minha mãe já conhece como a rapariga com quem eu falo muito ao telefone, até muito tarde); e, claro, sem nunca esquecer os rapazes, neste caso o Ruben, que esteve ausente grande parte do ano mas nunca deixou de estar presente e que me disse uma frase daquelas para nunca esquecer: há comboios que só passam uma vez.

Este ano consegui ter três meses de férias de Verão, comecei a recuperar do meu trauma dos abraços, vi futebol e chorei para caraças com o Porto. Tomei a melhor decisão da minha vida ao criar este blog e não podia estar mais orgulhosa do percurso destes últimos cinco meses. Fui mais feliz este ano e sei que não o teria sido se não tivesse decidido que não precisava de ninguém além de mim para ser feliz. Aprendi que, por muitos planos que façamos, a vida tem planos próprios para nós e aquilo que pensamos ser um dia normal pode acabar a ser o dia que mudou a nossa vida. 


16 Theories So Far

  1. Excelente conclusão Sofia! Que 2016 te traga tudo de bom!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vou trabalhar para que 2016 seja ainda melhor! Bom ano, Leonor! :)

      Eliminar
  2. És grande, tão grande. E tenho imenso orgulho em ter-te na minha vidinha ♥

    ResponderEliminar
  3. Comecei a ler esta publicação já com um sorriso nos lábios, pois eu sabia que vinham daí grandes aprendizagens e momentos marcantes. Nota-se que cresceste imenso e fico feliz por ter estado no backstage de alguns momentos que aqui referiste. Que em 2016 eu possa viver pelo menos um contigo!

    Acredita que fiquei surpreendido a ver o meu nome nesta publicação, pois apesar de me teres falado disso, eu esqueci totalmente esse detalhe e fui lendo com a maior calma e atenção do mundo. E que bom ver ali uma referência ao Johnny! Sabes que te adoro imenso e espero criar memórias especiais contigo neste ano que se avizinha. És incrível <3

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Em 2016 vamos criar uma memória nossa, don't worry! ❤️

      Eliminar
  4. Fico extremamente orgulhosa ao ler este teu texto! Sempre cheia de força, Sofia! Parabéns (:

    ResponderEliminar
  5. Isto pode parecer de loucos mas também comecei o meu ano a ver: How I Met Your Mother! Que coincidências giras!

    ResponderEliminar
  6. Adorei cada palavra tua ! Foi um ano em grande mesmo :)
    Gostei bastante do teu blogue

    ResponderEliminar
  7. Que 2016 te traga mais felicidade :D

    ResponderEliminar