BEING HOME

Being Home w/ Dama
Chegar a casa é ser recebida por guinchos, saltinhos e lambidelas da Dama. Tenha ido embora há dois dias, há uma semana, há duas semanas ou há um mês. Tenho sempre muitas saudades dela quando estou em Lisboa. Tenho tantas saudades que juro que tenho vontade de agarrar cada cão que passa na rua e esperar que isso atenue a dor das saudades.

Em Lisboa, não ter alguém à minha espera quando venho das aulas, não ter companhia para passeios e não ter com quem ir trocando palavras é doloroso. Sinto falta da Dama todos os dias. É por isso que cada minuto em casa é passado a tentar tê-la ao pé de mim durante o máximo tempo possível. Se pudesse, amanhã ficava cá.

Mas não posso. A única coisa que posso é sair de coração apertado e regressar a Lisboa para mais duas longas semanas. Agora digam-me: ainda acreditam que as saudades diminuem com o tempo?


4 Theories So Far

A resposta aos comentários é dada na própria caixa de comentários.

Não serão aprovados comentários de carácter ofensivo (para mim, para quem possa estar mencionado no texto ou para os meus seguidores e comentadores) e/ou que atentem contra a liberdade humana. Assim como não serão aprovados comentários de ódio puro.